Contato

10 ideias sobre “Contato

  1. caro Cariri Filho,

    Sempre nos dê noticias de chuva aí no nosso sertão, principalmente na nossa Ouricuri. Nós, filhos da terra e leitores do seu conceituado blog, sentimos falta dessa informação.
    Grande Abraço,

    Martônio Américo

  2. Meu caro, Cariri filho, estamos enfrentando um grande surto de dengue, em nossa cidade, e, nos deparamos diariamente com apelo dos governantes para o combate do mosquito, entretanto, não observamos nenhuma medida positiva por parte do poderes constituídos para o combate do referido mosquitos, já que vivenciamos diariamente esgotos a céu aberto, fazendo na rede de fornecimento de água, lixo, no entanto, não observamos nenhum empenho do poder público em fazer a sua parte, dou como exemplo em frente a antiga oficina de coió, que fica na esquina da Escola Fernando Bezerra, tem um vazamento há mais de oito meses, e até a presente data não foi tomada nenhuma providência, tanto pela compesa pela prefeitura, gostaria de esse blog tomasse a iniciativa de denunciar mais esse descaso dos poderes público, enquanto isso a população está sofrendo.

  3. É necessário que as mulheres em idade fértil sejam esclarecidas sobre os riscos do zika vírus e orientadas.

    É altamente recomendável que a gravidez seja evitada no momento.

    O problema é que muitas mulheres carentes engravidam de forma indesejada por não terem acesso à informação e aos métodos anticoncepcionais.

    Depois as mães carentes enfrentam diversas dificuldades para conseguir criar os filhos, sem acesso a saúde, educação e vida digna. Os filhos são os que mais sofrem no final.

    Médicos recomendam que mulheres evitem gravidez

    Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o infectologista Artur Timerman, presidente da Sociedade Brasileira de Dengue e Arboviroses, desaconselha as mulheres a engravidarem agora, mesmo aquelas que moram em regiões sem surtos de zika.

    O presidente eleito da Federação dos Ginecologistas e Obstetras, Cesar Fernandes, ressalta que as mulheres que moram em regiões endêmicas para zika devem adotar “uma anticoncepção efetiva”. Já nas demais regiões “o princípio da precaução deve ser adotado”.

    http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/medicos-recomendam-que-mulheres-evitem-gravidez/

  4. A respeito dos ambulantes que trabalham na praça de eventos de ouricuri a prefeitura ira realizar neste mês a fecou e a cdl mandou entregar apenas um comunicado dizendo para os ambulantes desocupar a praça nao veio ninguém da prefeitura pra orientar ou determinar um local para que possam trabalhar na gestao anterior o secretário de administração veio interditou duas ruas priorizando o acesso aos bancos e todo mundo trabalhou tranquilo e agora eles simplesmente querem que a gente pare e a prefeitura nao vai pagar nossos compromissos e jogar agente pra praça do banco do nordeste nao resolveu no ano de 2014 e ai a prefeitura vai resolver o que

  5. Queria infomar um caos que a minha rua está passando, a mais de 2 meses o esgoto na rua Antonio Valdecir de aquino, Bairro do Santo Antonio, esta estorado, causando mau cheiro, e transtornos, na minha casa por exemplo, os esgoto cobre toda a calçada, e até entra pela porta da frente!! Onde mora um Casal de Idosos, convivendo com isso A 2 Meses!! Tenho varias fotos tiradas da rua! Só pedir pelo Email: amaral.marcelo765@gmail.com

  6. Queria infonmar um caos que a minha rua está passando, a mais de 2 meses o esgoto na rua Antonio Valdecir de aquino, Bairro do Santo Antonio, esta estorado, causando mau cheiro, e transtornos, na minha casa por exemplo, os esgoto cobre toda a calçada, e até entra pela porta da frente!! Onde mora um Casal de Idosos, convivendo com isso A 2 Meses!! Tenho varias fotos tiradas da rua! Só pedir pelo Email: amaral.marcelo765@gmail.com

  7. Otavio Barros da Silva
    O primeiro jornaleiro de Ouricuri, PE.
    Correspondente do jornal “Diário de Pernambuco” em Ouricuri.
    Correspondente do “Jornal do Commercio” em Ouricuri.
    Fundador do jornal “O Sertão”, Ouricuri, PE.
    O Clarim, Propriá, SE.
    Jornal “Correio da Lavoura”, Nova Iguaçu, RJ.
    Jornal “Municípios em Marcha”, Osasco, SP.
    Jornal “Agora”, S. José dos Campos, SP.
    Jornal “Tribuna do Leste”, Rondonópolis, MT.
    Jornal “Tribuna de Marabá”, PA.
    Jornal “Cinco de Março”, Goiânia. GO.
    Jornal “O Estado”, Teresina, PI.
    Jornal “O Progresso” (1970), Imperatriz, MA.
    Jornal “Tribuna de Carolina”, MA, 1971 a 1972.
    Diretor do jornal “Tribuna da Amazônia” (1973 a 1975), Araguaina, GO.
    Diretor do jornal “O Estado Tocantins”, a partir de 1975, Araguaína, GO.
    1º Prêmio Qualidade Imprensa – 2001 – pelo Sistema Fieto.
    Autor do primeiro livro sobre a história do Tocantins – BREVE HISTÓRIA DO TOCANTINS (Edição FIETO/1987).
    Membro da Academia Tocantinense de Letras.
    Escritor homenageado do 4° Salão do Livro.
    Do Conselho Estadual de Cultura (Governo Moisés Avelino).
    Da Comissão História Viva – criada pelo Governo para resgatar a memória do Tocantins.
    Homenagem da Câmara Municipal de Araguaína com o título de Cidadania.
    Patrono da primeira turma de jornalismo da Unitins.
    Condecorado pelo Governo com a medalha de Comendador.
    Condecorado pela Assembleia Legislativa com o título de Cidadão Honorário.
    Condecorado com a Comenda da Ordem Macamekran, pelo município de Carolina (MA).
    Condecorado com a medalha Dr. Francisco Ayres, pelo município de Porto Nacional.
    Fundador do Instituto Cenog-Conorte, Palmas

    Bibliografia

    Filme “Otavio, a Boca do Eterno”. Direção do escritor Alexandre Acâmpora. Parceria com a Agência Public para produção de cópias.
    Cultura Popular do Tocantins, edição do autor, Araguaína, 1975.
    Dicionário do Tocantins, edição do autor, Araguaína, 1981.
    Literatura do Tocantins, edição do autor, Araguaína, 1988.
    Breve História do Tocantins, FIETO, Araguaína, 1º e 2ª edições, 1997 e 1998.
    Tocantins – Conhecendo e Fazendo História, Secretaria estadual da Educação, Palmas, 1998.
    História da Imprensa no Tocantins, SECOM, Palmas, 2003.
    Petite Histoire du Tocantins, Fundação Cultural do Estado, Palmas, 2005
    Cronologia Histórica do Tocantins, edição do autor, Palmas, 2007.
    A Nova História do Tocantins, edição do autor, Palmas, 2009.
    Presença da França no Tocantins, edição do autor, 2012.
    História do Ministério Público do Tocantins, MP-TO, Palmas, 2012.
    Memória do Tocantins, edição do autor, Palmas, 2014.
    Historia de Carolina – 2015.
    História de Filadéfia (pesquisando).
    Theotonio Segurado, o patrono do Tocantins (Obra inédita).
    Siqueira Campos, o fundador do Tocantins (Obra inédita).
    Palmas, a Capital do Tocantins (Obra inédita).

    ——————————-

    Orgulho da filha Andreana! Merecido reconhecimento! Andreana Barros, Carmópolis, MG.

    Orgulho grande da família Barros! Do neto Otávio Augusto, Carmópolis, MG.

    Grande Otávio Barros. Lembro-me da época em que ele trabalhava no Jornal Tribuna de Carolina do meu saudoso tio, Deputado Absalão Coêlho. Isso lá pelos anos 70. Palmério Miranda, Carolina, MA.

    Otavio, meus parabéns, por suas conquistas literárias, me lembra das decisões da construção da paróquia de São Sebastião em Ouricuri, daí surge a cidade em volta, ação do Comendador Padim Padre… Um abraço. Adelmo Aquino, Ouricuri, PE.

    Parabéns Otávio Barros! Ícone tocantinense! Mary Sonia Matos Valadares, presidente da Academia Tocantinense de Letras, Palmas, TO.

    Merecedor das mais insignes homenagens pelos relevantes serviços prestados ao Tocantins e ao Brasil na arte de informar e propagar notícias. Goianyr Barbosa de Carvalho, Palmas, TO.

    Grande jornalista, Comendador Otavio Barros. Parabéns pela gloriosa trajetória profissional. Parabéns pelo inteligente e grande ser humano que és. Desejo-lhe sempre sucesso por tudo que és e por tudo que representas para o estado de Tocantins e para Ouricurí, nossa terra natal. Maria J. Virgínio, Recife, PE.

    Grande amigo e conterrâneo Otávio que honra e agiganta as mais sublimes tradições de nossa terra. Deolindo Aquino, Ouricuri, Pernambuco.

    (I)Caro confrade Otávio Barros. Parabéns. Você é o grande – o maior de todos – historiador do Tocantins. Partícipe ativo do processo de criação do Estado, pesquisador persistente e incansável, vem registrando, com isenção e fidelidade aos fatos, todo o caminho, por vezes penoso, até a consolidação de nosso Estado. Você é credor do respeito e da admiração de todos os tocantinenses. Felicidade e vida longa é o que desejo. Parabéns, Otávio, pelo rico currículo. Darci Coelho. Ex-vice governador do Estado do Tocantins. Palmas, TO.

    (II) Há um cidadão bem na foto do jornal “O Estado do Tocantins”, fazendo a entrega da emenda popular como presidente do Comitê Pró-Criação do Estado do Tocantins. O jornal do Otávio Barros sempre presente. O grande jornalista publicou a íntegra do discurso do Ulisses Guimarães em seu livro “Breve História do Tocantins e de sua Gente”. Otávio Barros é excelente historiador e também testemunha ocular – mais que isso: artífice – da história. Darci Coelho.

    Esse é dos nossos, é de Ouricuri, PE. Aldemiro De Medeiros Aquino.

    Só quem conhece a luta ingente deste homem pode aquiltar a importância deste reconhecimento. Eu poderia dar meus parabéns a Otávio, por receber esta honraria. Mas prefiro parabenizar o governo do Estado do Tocantins por concedê-la. Um governo que sabe reconhecer e enaltecer as inteligências locais, que presta em vida o tributo de glória àqueles que como Otávio, sempre se sacrificaram pelo bem maior de sua gente, é um governo que deve ser respeitado pelos governados. O Estado do Tocantins está dando um exemplo que deveria ser seguido pelo governo de Goiás. Aqui, no passado, transcorreu em brancas nuvens o centenário de Bernardo Elis, nossa maior glória literária. Longa vida a Otávio Barros! Helvecio Cardoso, advogado e jornalista, Goiânia, Goiás.

    Ao nobre escritor Otavio Barros as minhas considerações e meu muito obrigado por conhecer e escrever como ninguém a história do nosso estado do Tocantins! Eu que sou natural aqui desse pedaço de chão e estou aqui desde o dia em que o presidente da República José Sarney falou na voz do Brasil em que a capital provisória do mais novo estado da federação seria a cidade de… Miracema do Norte! Otavio Barros você merece ser reconhecido pelo brilhante trabalho de formiguinha com toda escassez de recursos e incentivos para escrever de forma tão verdadeira e na maioria das vezes presencial a história do nosso estado do Tocantins. José Alves Neto. Helvecio Cardoso.

    Otavio Barros é um profissional que merece credibilidade, pois conta a história da criação do Estado do Tocantins como aconteceu, sem paixões. Parabéns a este grande jornalista. Antonio Luiz Coelho, advogado, Miracema do Tocantins.

    Otávio Barros, como já falei pessoalmente, você é um dos injustiçados deste Tocantins. O nosso estado tem uma dívida enorme com você. Você para mim é o pai dos historiadores do Tocantins, aliás, ninguém faz, por estas plagas de Theotonio Segurado, uma pesquisa histórica séria sem beber na fonte de suas obras. Elas são riquíssimas, todas, sem nenhuma exceção. Parabéns por tudo. Que Deus lhe abençoe. Juarez Moreira Filho, advogado, membro da Academia Tocantinense de Letras. Porto Nacional.

    Grande jornalista e escritor Otavio Barros…, de nossa querida Ouricuri-PE, que todos amigos e parentes,juntos, desejosos de vê-lo bem de vida, feliz, escrevendo grandes obras e o melhor, abençoado por Deus. Parabéns. Bernardino Granja Campos. Goiânia, Go.

    Acompanhei de perto a mobilização política de Santilho e posso afirmar com precisão que se o governador tivesse uma posição contrária à criação do Estado, o Tocantins não teria sido criado naquela época. Nem se Siqueira Campos morresse de fome. Otávio Barros tem razão: o papel de Santilho na criação do Estado teria que constar em todos os registros históricos nas escolas sobre a luta da emancipação do Tocantins. Anésio Junior. Palmas.

    Nossas congratulações ao Otávio pelas comendas, e mais ainda pelo registro histórico da nossa região. Fernando Storni, sociólogo, Brasília.

    Parabéns, Otavio Barros, pelo conjunto de livros publicados. Conheci o senhor na minha infância, no hotel de minha madrinha Dona Tita, aqui em Carolina. Ausonio Junior.

    Otavio Barros fico muito feliz em poder confraternizar-me com Você, no momento que vejo estampadas nesse aparelho de comunição a relação de tantas conquistas alcançadas pelo ilustre amigo. Parabéns Otavio. Felicidades. Antonio Paiva. Filadélfia, TO.

    Tive a honra de conviver e conversar com o amigo Barros em Carolina-MA. Um grande homem, um grande amigo! Um exemplo de vida! Que Deus te ilumine, abençoe sempre! Onde estiver meu saudoso papai está orgulhoso de você e comunga com todas as honrarias que você tem recebido na sua vida. Parabéns!!! Magna Aspasia Fontenelle, Uberaba, MG.

    Bem merecido os títulos, Otavio. Osias Amorim.

    Parabéns ao grande ícone da imprensa tocantinense. A família do jornal “O Girassol” sente orgulho desse grande desbravador. Que Deus ilumine seus caminhos. Abraço fraterno e nordestino. Wibergson Estrela Gomes e Sonielson Luciano de Sousa, diretores do jornal “O Girassol”. Palmas, TO.

    Otavio, grande personalidade! Inteligência rara. Olga Maria Bezerra Cavalcante, Miracema.

    Parabéns ao meu amigo, Comendador Otávio Barros, pelos feitos e pelo muito que realizou, pela cultura tocantinense e do Sul maranhense. Sebastião Virginio de Oliveira, Petrolina, Pernambuco.

    Otávio Barros é um pesquisador a quem todos os tocantinenses deveriam reverenciar. Jorge Luiz Medeiros da Cunha. Carolina, MA.

    Que beleza! Trajetória maravilhosa do Otavio! Diego Britto.

    Parabéns mestre. Muito sucesso na sua caminhada. Saudade! Neca Portz. Palmas.

    Tiro o chapéu para este incansável pesquisador, historiador! Minha admiração e respeito pelo o legado que seu trabalho significa para o Tocantins Lucielia Aquino Ramos. Palmas.

    Parabéns meu considerado. Você é mais que todas as condecorações que possam lhe oferecer. Você é um garimpeiro na busca e difusão da informação, seja do ponto de vista jornalístico ou histórico. Everton Dos Andes, Porto Nacional, TO.

    Otavio, grande escritor, merece o nosso aplauso. Assis Junior.

    Parabéns Otavio Barros. Marcia Santo.

    Merecidamente! Belgna Ribeiro Ramos. Palmas.

    Parabéns!!! Deus seja louvado! Elza Da Silva Cunha. Carolina, MA.

  8. Casa de Cultura Chico Netto

    OTAVIO BARROS DA SILVA
    Da Academia Tocantinense de Letras

    O Analfabeto Político. O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, da roupa, do calçado e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais. Bertolt Brecht.

    Tenho o sonho de que o casarão abandonado na Praça Padre Francisco Pedro Esta será a CASA DE CULTURA CHICO NETO-CCCN, com a finalidade de difundir a memória de Ouricuri e do Brasil. Para tanto, estamos requerendo o tombamento do casarão centenário para sede desta entidade. Devemos lembrar que as gerações vão se sucedendo e a memória vai se esvaindo se não exercitada.

    Para as novas gerações, informo que CHICO NETTO (Francisco Pedro da Silva Netto), meu pai, foi chefe político em Ouricuri, escritor, pesquisador, ensaísta, memorialista, conferencista, orador e contista.

    Para tanto, estou providenciando o tombamento do casarão centenário, pelo IPHAN. Todo o prédio carece de restauração (telhado, portas, janelas, piso, etc.).

    É nesse espaço como centro de memória que pretendemos eternizar a missão de Chico Netto como estudioso dos problemas do Nordeste. Para ampliar o acervo desta Casa, esperamos a doação de objetos e fotografias históricas. Ajude-nos.

    Pelo que realizava em defesa da população pobre, Chico Netto era chamado de “Advogado dos Pobres”, “Pai dos Pobres”, o “Advogado do Povo”, o “Ouvidor do Sertão”. As portas de seu casarão sempre estiveram abertas para acolher as reclamações coletivas contra o Juiz, o Prefeito, o Delegado de Polícia e até o Promotor de Justiça.

    Quando a denúncia era de gravidade, Chico Netto pegava sua máquina de escrever para mais uma carta, documento, telegrama ou abaixo-assinado a ser despachado para as autoridades de Pernambuco e até da Presidência da República. Muitos delegados de Polícia tiveram que arribar de Ouricuri por causa da caneta de Chico Netto. Até Juiz de Direito foi afastado da Comarca.

    Quem também freqüentava este casarão eram professores e alunos em busca de conhecimentos na biblioteca de Chico Netto.

    Com a morte de Vó Marica (Maria de Castro e Silva), viúva do Coronel Antonio Pedro, este casarão ficou como moradia para o filho caçula, Chico Netto, e sua irmã de criação, a negra Anália. Ambos solteiros, e nessa condição civil faleceram.

    Havia uma convivência fraternal desde os tempos de crianças entre Chico Netto e Anália. . O cômodo de Chico Netto ficava no sobrado, improvisado para gabinete de trabalho e biblioteca, enquanto Anália se acomodava num quarto do térreo. Ela era a secretária atenciosa do escritor, com afazeres domésticos.

    Quando o assunto era História, ou Filosofia, ou Política (nacional ou internacional), lamentavelmente sempre tinha acalorada discussão com meu pai.

    Tal e qual a vida entre Gonzaguinha e Gonzagão.

    Nas férias escolares do Recife, pai e filho mantinham prolongada réplica e tréplica, madrugada adentro, no sobrado deste casarão, às vezes até mexendo com o sono da vizinhança.

    A saudosa Anália muitas vezes acordava tarde da noite para subir a escada e saber o que acontecia no sobrado do casarão, quando Chico Netto explicava a ela tratar-se de uma simples discussão sobre política, a exemplo de quem questiona time de futebol ou religião.

    Meu pai sempre foi uma personalidade polêmica. Os inimigos políticos temiam seus argumentos em público.

    Duas vezes candidato a Deputado estadual, não conseguindo uma cadeira na Assembléia Legislativa de Pernambuco.

    Até os anos 60 do século passado a liderança política de Ouricuri esteve dividida entre o Deputado Felipe Coelho, o empresário Fernando Bezerra e Chico Netto, o intelectual perdido nas brenhas do Sertão.

    Para os adversários políticos, Chico Netto era um visionário, um “pregador no deserto”. As pessoas comuns, que são a maioria do povo, não entenderam as propostas políticas de Chico Netto, motivo de seu isolamento no casarão na Praça Padre Francisco Pedro, nome de seu avô, onde tinha como amigo os livros.

    Chico Netto defendia uma “Democracia Humanista e Cristã” e se considerava um “nacionalista”, contrário à extrema direita ou esquerda.

    As ideias e propostas ideológicas dele sempre estiveram em permanente colisão com o atraso e as negociatas entre político e eleitor.

    Para Chico Netto, a política é a luta constante pelo bem comum, pela justiça, o bom governo, pela democracia.

    Ele concebia a política como o ideal de uma sociedade justa e igualitária. Sua luta em defesa do sertanejo, vítima da Seca, está descrita em seu livro NORDESTE, DESOLAÇÃO E DOR, coletânea de estudos e artigos publicados nos jornais, discursos e idéias do próprio Chico Netto sobre a realidade histórico-social de sua região.

    Em vida, Chico Netto sonhava o sonho de uma sociedade mais justa.

    Como escritor e político idealista: denunciava os erros dos governantes diante dos sertanejos maltratados pela “Indústria da Seca”, com suas energias vitais esvaindo-se num cortejo de retirantes em caminhões paus de arara para o Sul do país, quadro bem retratado nas músicas do Gonzagão.

    Passado mais de duas décadas de sua morte, a Seca continua como fenômeno secular, e as ações governamentais prosseguem alimentando os políticos desonestos através da “Indústria da Seca”.

    Os adversários reconheciam em Chico Netto o político idealista e polêmico.

    Mas o que seria da política se não pudéssemos polemizar?

    Suprimir o pensamento divergente foi e ainda é a posição assumida pelos analfabetos políticos de ontem e dos que estão por aí disfarçados sob a máscara da democrata.

    Ainda por muito tempo o comodismo e a ignorância do povo sertanejo continuarão alimentando os políticos desonestos, uma corja sem ideais na corrupção da luta por poder.

    Como defensor de uma melhor qualidade de vida para o sertanejo, Chico Netto construía sua utopia escrevendo livros e artigos para jornais do Rio de Janeiro, Recife e Petrolina.

    Sempre combatendo a podridão da política pelo poder, Chico Netto, como idealista, sempre se manteve na defesa dos injustiçados, com suas ações e propostas.

    Portanto, ele foi um idealista perdido nas brenhas do Sertão. Se fosse morador de grandes centros, com certeza hoje seria um nome consagrado na história de Pernambuco e do Nordeste brasileiro como idealista que consagrou boa parte de sua vida na defesa do povo sertanejo.

    Hoje é um nome esquecido na terra natal, sem homenagem póstuma, sem uma praça ou rua com seu nome – FRANCISCO PEDRO DA SILVA NETTO.
    Palmas, Tocantins, 14 de fevereiro de 2013

    ——————————
    OTAVIO BARROS DA SILVA. Quadra 904 Sul, Alameda 06, Lote 45, Palmas, Tocantins. CEP 77.023 – 372.
    Telefones: 063-3214-6286/063-8401-2911.
    Email:
    otaviobarros-to@ig.com. br
    tocantinsjornal@gmail.com

  9. Boa tarde,
    Estou precisando da ajuda dos moradores de Ouricuri para localizar a família de uma colega minha que mora em Açailândia/MA e a mais de 25 anos perderam o contato.
    Os familiares dela moram nos arredores da Mandassaia no Sitio Julião.
    Nomes dos Irmãos:
    Antônio Braz de Sousa (Totonho); Lourisvaldo Braz de Sousa (Fulor); e outros.
    Qualquer informação avisa no telefone: 99 – 9;9166 5895 (vivo – watsap).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *