TSE abre ação para investigar suspeita contra campanha de Bolsonaro

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Jorge Mussi abriu nessa sexta-feira (19) ação para investigar suspeitas de uso de sistemas de envio de mensagens em massa na plataforma WhatsApp custeados por empresas de apoiadores do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). O pedido foi feito pela campanha do candidato Fernando Haddad (PT).

Mussi rejeitou, no entanto, pedido de diligências como quebra de sigilo bancário, telefônico e de prisão dos supostos envolvidos, por entender que as justificativas estão baseadas em notícias de jornal e não podem ser decididas liminarmente.

Ontem (18), o jornal Folha de S. Paulo publicou reportagem segundo a qual empresas de marketing digital custeadas por empresários estariam disseminando conteúdo em milhares de grupos do aplicativo.

“Observo que toda a argumentação desenvolvida pela autora está lastreada em matérias jornalísticas, cujos elementos não ostentam aptidão para, em princípio, nesta fase processual de cognição sumária, demonstrar a plausibilidade da tese em que se fundam os pedidos e o perigo de se dar o eventual provimento em momento próprio, no exame aprofundado que a regular instrução assegurará”, decidiu o ministro.

Entre as diligências negadas estão a realização de busca e apreensão de documentos na sede da rede varejista Havan e na casa do dono da empresa e apoiador de Bolsonaro, Luciano Hang, além de determinação da prisão dele, caso fosse rejeitado acesso à documentação. O PT também queria que fosse determinado ao WhatsApp que apresentasse, em 24 horas, um plano contra o disparo de mensagens ofensivas em massa contra Haddad.

Apesar de negar as diligências, Jorge Mussi concedeu prazo para que a campanha de Bolsonaro possa apresentar defesa prévia. Com a decisão, os fatos serão investigados no decorrer normal do processo eleitoral no TSE. (Da Agência Brasil)

Com apoio do vereador Iran Severo, deputado Fernando Monteiro sai fortalecido de Ouricuri

Eleito com 82.071 (oitenta e dois mil e setenta e um) votos, o Progressista Fernando Monteiro garante uma cadeira para defender os interesses do povo pernambucano na câmara federal. No estado, Monteiro foi o 16º deputado federal mais bem avaliado pelos pernambucanos.

O vereador de Ouricuri, Sertão do Araripe, Iran Severo (PP) que acompanha o deputado conseguiu dá ao deputado uma votação expressiva, 1570 (mil quinhentos e setenta) votos, sendo mil e quatrocentos em Ouricuri e 120 em Bodocó, também no Araripe.

Iran Severo saiu vitorioso dessa campanha, pois superou a votação que deu ao deputado na eleição de 2014 com um acréscimo de quase 60% agora em 2018.  Fernando Monteiro ocupou a 7ª colocação entre os mais votados em Ouricuri.

Vox Populi: Haddad cresce e chega a 46% dos votos válidos; Bolsonaro tem 54%

Pesquisa Vox Populi divulgada nesta sexta-feira (19) mostra um crescimento da candidatura de Fernando Haddad (PT) na reta final do segundo turno das eleições presidenciais. O petista aparece com 46% dos votos válidos, enquanto o oponente, Jair Bolsonaro (PSL) tem 54%, na pesquisa espontânea. Na pesquisa estimulada, quando são mostrados os nomes dos candidatos, o petista tem 47% dos votos válidos, contra 53% do militar.

No total, contando votos brancos, nulos e indecisos, Haddad tem 37% contra 43% do capitão da reserva. Segundo a pesquisa, 12% declararam que votarão em branco ou nulo e 8% ainda estão indecisos.

Por região

Na pesquisa espontânea por regiões, Haddad marca 55% da preferência do eleitorado nordestino, contra 27% de Bolsonaro. O capitão da reserva fica à frente nas demais regiões. No Sudeste, marca 49%, contra 28% do petista, no Sul, 53% a 33%, e no Centro Oeste/Norte, 45% a 34%.

Mudança de voto

Segundo o Vox Populi, entre os eleitores que definiram seu voto, 8% ainda podem mudar de ideia e outros 3% dizem que não há nada decidido e “podem mudar de ideia até amanhã” – 89% dizem que não pretendem mudar de ideia.

Rejeição

Em relação à rejeição, os dois candidatos estão empatados tecnicamente. De acordo com a pesquisa, Haddad é rejeito por 41% dos eleitores ouvidos, enquanto Bolsonaro tem índice de rejeição de 38%.

A pesquisa ouviu 2 mil eleitores entre os dias 16 e 17 de outubro em 120 municípios de todos os estados e o Distrito Federal. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. A sondagem foi registrada no TSE com o número BR-08732/2018.

Homem desaparecido é encontrado enforcado em Ouricuri

Francisco das Chagas Silva Soares, idade não informada, que residia no Sítio Cuiabá em Ouricuri, que estava desaparecido foi encontrado na manhã da última sexta-feira (19) pendurado por uma corda em uma árvore nas proximidades do Posto Serrano em Ouricuri.

Segundo familiares, Francisco saiu de casa  em uma motocicleta para trabalhar como representante de vendas da Empresa Brita Forte e Cerâmica Araripe, desde então estaria desaparecido.

As polícias Militar, Civil e da Polícia científica estiveram no local para o registro e os exames iniciais de praxe, assim como liberação do corpo para os familiares.

Mendonça Filho ajuda equipe de Bolsonaro e vira ‘ministeriável’

Foto: reprodução

O ex-ministro da Educação no governo de Michel Temer, Mendonça Filho (DEM-PE), tem colaborado com a equipe do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). O nome de Mendonça estaria, inclusive, sendo cogitado para voltar ao mesmo ministério que deixou em abril para se candidatar a senador por Pernambuco. Além dele, o nome do empresário Eduardo Mufarej, do grupo RenovaBR, também está sendo considerado para o cargo.

Mendonça Filho, que não foi eleito, teve reuniões com o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) em que apresentou o que foi feito na pasta durante a sua gestão e deu sugestões. Apesar de o DEM ter se declarado neutro nas eleições presidenciais, Onyx já foi anunciado como futuro ministro da Casa Civil se Bolsonaro for eleito.

De acordo com interlocutores, Mendonça teria enfatizado a importância do ensino em tempo integral e a reforma do ensino médio, que Temer aprovou por meio de medida provisória e tem sido a grande bandeira do governo em educação. Em seu programa, Bolsonaro não menciona a reforma.

O candidato já declarou várias vezes que pretende fazer uma “mudança curricular” para tirar questões “ideológicas”, como gênero e sexualidade, das escolas. A gestão de Mendonça – continuada pelo atual ministro Rossieli Soares – foi responsável pela finalização da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O documento começou a ser elaborado no governo de Dilma Rousseff e teve várias versões. Na que foi aprovada, em 2017, menções a gênero e sexualidade foram retiradas.

Segundo a reportagem apurou, outro nome cotado para o ministério é o do empresário Eduardo Mufarej, ex-presidente do grupo Somos Educação, e que está a frente da ONG RenovaBR. A entidade tem o objetivo de formar lideranças para a política. Ele seria uma indicação de Paulo Guedes, economista de Bolsonaro. Guedes não gostaria que a pasta fosse ocupada por um militar.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o general Aléssio Ribeiro Souto, que está no grupo de discussões sobre educação do PSL, disse que a bibliografia deveria mudar para que professores exponham a “verdade” sobre o “regime de 1964”. O ex-funcionário da Fundação Getulio Vargas Stravos Xanthopoylos também faz parte do grupo e foi cogitado para o cargo. Mas seu nome tem perdido força nos últimos dias. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (Via: Terra)

Atleta de Ouricuri conquista duas medalhas de ouro em competição nacional realizada em Fortaleza

Foto: reprodução

A atleta Maria Aparecida Gomes Alencar conquistou duas medalhas de ouro nas provas de 200m e salto em distancia, da etapa nacional dos JIF (Jogos dos Institutos Federais), que está sendo realizado na cidade de Fortaleza Ceará.

Em Agosto, Maria Aparecida já havia conquistado o titulo do pernambucano na cidade de Petrolina. Em Setembro, também conquistou o titulo da etapa 
nordeste que foi realizado em Natal-R, nesta etapa a atleta estabeleceu novo recorde nas três provas: 100m, 200m e salto em distancia. 

A aluna treina desde os 11 anos de idade com o professor Geovan Peixoto de Alencar. 
Hoje com 18 anos Maria Aparecida é uma grande revelação do atletismo brasileiro. 

A atleta ainda pode conquistar mais uma medalha hoje, já que é a grande favorita para a prova dos 100 metros rasos. 

Fonte: Portal do Araripe

Para juristas, há risco de cassação por compra de disparos no WhatsApp

Foto: reprodução

Se for comprovado que empresas compraram pacotes de disparos de mensagens contra o PT no WhatsApp, especialistas em direito eleitoral ouvidos pelo portal UOL consideram possível a impugnação da candidatura e posterior cassação de mandato do candidato Jair Bolsonaro (PSL), caso ele seja eleito. A avaliação considera o cenário após o desfecho do segundo turno devido ao tempo que um processo deste costuma levar.

De acordo com os juristas, encomendas de disparos de mensagens seriam doações não contabilizadas, o que equivale a caixa 2 de campanha, e são realizadas por empresas, o que é proibido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) desde 2015. “Pode sim dar penalidade ao candidato, mesmo que ele não tenha participado, porque foi beneficiado”, avalia a vice-presidente da Comissão de Direito Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Gabriella Rollemberg. Na hipótese de cassação de mandato, segundo ela, as eleições seriam anuladas e deveria ser feito novo pleito.

Disparos de mensagens

 A reportagem publicada pela Folha de S.Paulo nesta quinta-feira (18) informa que empresas estão contratando o serviço de disparo de mensagens com contratos que podem alcançar R$ 12 milhões. O serviço, de acordo com a Folha, se vale da utilização de números no exterior para enviar mensagens, burlando restrições que o WhatsApp impõe a usuários do Brasil.

As atividades envolvem o uso de cadastros vendidos de forma irregular. A legislação só permite o uso de listas elaboradas voluntariamente pelas próprias campanhas de candidatos. O financiamento empresarial de campanha também é proibido.

“Qualquer tipo de abuso de poder econômico ou uso indevido de comunicação social pode resultar em investigação judicial, em que os fatos serão esclarecidos e, eventualmente, se provada a ocorrência de irregularidade com gravidade suficiente para contaminar a legitimidade e a normalidade das eleições, pode gerar inclusive o cancelamento da eleição”, explicou o presidente do Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral e ex-ministro do TSE, Henrique Neves, ao UOL. Ele acrescentou ainda que tudo precisaria ser comprovado. (Do JC Online)

PT entra com pedido de investigação no TSE e pede inelegibilidade de Bolsonaro

Foto: reprodução

O PT entrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com uma ação de investigação contra o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e empresas apontadas como responsáveis por bancar a disseminação de mensagens contra a campanha do PT pelas redes sociais. O partido do presidenciável Fernando Haddad (PT) pede à Corte eleitoral que declare a inelegibilidade de Bolsonaro para os próximos oito anos após a eleição atual.

Na ação, o partido cita que há indícios de que foram comprados pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT pelo aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp, conforme noticiado pelo jornal Folha de S.Paulo.

O PT pede à Justiça Eleitoral que seja decretada busca e apreensão de documentos na sede da Havan e na residência de Luciano Hang, dono da empresa, apontado pelo jornal como um dos responsáveis pelo pagamento do conteúdo. Além disso, a legenda de Haddad quer que o aplicativo WhatsApp seja determinado a apresentar em 24 horas um plano de contingência para suspender o disparo em massa de mensagens ofensivas ao presidenciável petista. 

No pedido, o TSE é cobrado para requerer a Luciano Hang documentação sobre eventual contribuição feita em apoio a Jair Bolsonaro. Em caso de negativa, a ação pede que seja expedido mandado de prisão contra o empresário. O partido pede também a oitiva e a quebra de sigilo bancário, telefônico e telemático dos citados na ação, que também engloba outras empresas apontadas como responsáveis pela onda de mensagens na rede social. (Do Diário de Pernambuco)

Pesquisa Datafolha mostra Bolsonaro com 59% e Haddad com 41% dos votos válidos no 2º turno

A nove dias do segundo turno da eleição presidencial, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, mantém vantagem confortável sobre seu adversário, Fernando Haddad (PT), de acordo com pesquisa concluída pelo Datafolha nesta quinta (18).

Segundo o instituto, o capitão reformado tem 59% das intenções de votos válidos, sem contar eleitores dispostos a votar em branco ou nulo, ou que estão indecisos. O ex-prefeito petista está com 41%.

No levantamento anterior do Datafolha, realizado na semana passada, três dias após o primeiro turno da eleição, Bolsonaro apareceu com 58% das intenções de voto e Haddad, com 42%.

O Datafolha entrevistou 9.137 eleitores em 341 municípios na quarta (17) e nesta quinta. A pesquisa foi contratada pela Folha e pela TV Globo.

As oscilações observadas nas preferências dos dois candidatos estão dentro da margem de erro do estudo, que é de dois pontos percentuais, para mais ou para ​menos.

A vantagem de Bolsonaro sobre Haddad continua maior entre os homens (58% a 32%) do que entre as mulheres (43% a 39%). A resistência do eleitorado feminino ao capitão é grande desde o início da campanha presidencial.

O candidato do PT só aparece à frente do adversário no Nordeste, o mais fiel reduto petista. Haddad tem 53% das intenções de voto na região e Bolsonaro aparece ali com 31%.

Em todas as outras regiões, o candidato do PSL vence o rival petista com ampla vantagem. No Sudeste, ele alcança 55% e Haddad tem 29%. Na região Sul, Bolsonaro está com 61% e o petista, 27%.

Os eleitores do capitão são mais convictos do que os seguidores de Haddad. Segundo o Datafolha, 95% dos apoiadores de Bolsonaro dizem que estão completamente decididos. Entre os que votam em Haddad, 89% dizem o mesmo.

Entre os eleitores que se dizem dispostos a votar em branco ou anular o voto, 25% afirmam que ainda podem mudar de ideia e optar por um candidato até o dia da votação, que será realizada no dia 28.

A rejeição a Haddad superou a de Bolsonaro. De acordo com a pesquisa, 54% dos eleitores dizem que não votariam no petista de jeito nenhum e 41% rejeitam o capitão.

A poucos dias do segundo turno da eleição presidencial de 2014, quando Dilma Rousseff (PT) foi reeleita com pequena vantagem sobre Aécio Neves (PSDB), a candidata petista era rejeitada por 37% do eleitorado e seu rival tucano, por 41%, como Bolsonaro agora.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-07528/2018.

Antonio Fernando se reúne com o governador Paulo Câmara e cobra ações para o sertão do Araripe

O deputado estadual Antonio Fernando (PSC), eleito no ultimo dia 07 de Outubro, esteve reunido no Recife com o Governador reeleito Paulo Câmara (PSB), nessa quarta-feira (17), no Palácio Campo das Princesas para tratar de assuntos de interesse da região do Araripe.

Esse foi o primeiro encontro do novo deputado com o governador do estado após a campanha eleitoral, Participaram também da reunião o prefeito Cleomatson Vasconcelos de Santa Filomena, o deputado estadual Nilton Mota e o advogado Agripino Júnior. O encontro foi uma conversa para reafirmar o compromisso de António Fernando e o governador e para traçar ações para a região do Araripe com foco nas suas principais bandeiras de luta durante o mandato do novo parlamentar a partir de 2019.

Já na sexta feira 19 de Outubro, Antonio Fernando participa de um café da manhã também  com o governador do estado, onde estarão reunidos todos os deputados pernambucanos federais e estaduais eleitos e reeleitos.

Antonio Fernando falou sobre o encontro com o chefe do executivo estadual “estou muito contente em ter sido escolhido e eleito pelo povo sertanejo, ainda não assumir o mandato mas já fui recebido pelo governador para apresentar as necessidades da nossa região, irei representar esse povo que me confiou o voto, e com apoio do governador senadores e demais representantes políticos faremos um mandato voltado para o povo mais carente do nosso estado e sobretudo da região do Araripe” disse o deputado. (Da Ascom)