Congresso derruba veto de Temer e proíbe que candidato financie própria campanha

O Congresso Nacional, em sessão conjunta de deputados e senadores, derrubou nesta quarta-feira (13) o veto de Michel Temer que liberava o autofinanciamento irrestrito de campanha. Assim, o candidato ficará proibido de bancar 100% dos seus gastos eleitorais até o limite de cada cargo. Para alguns parlamentares, os candidatos serão enquadrados na regra de pessoas físicas – que podem doar até 10% dos seus rendimentos brutos do ano anterior.

No entanto, técnicos do Congresso dizem não haver consenso sobre esse ponto, uma vez que ele não fala expressamente em autofinanciamento. O tema deverá ser questionado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a quem caberá definir a regra para o autofinanciamento. O veto presidencial foi derrubado com 302 votos de deputados e apenas 12 favoráveis. Na votação entre os senadores, o placar foi de 43 votos a 6.

Vereadores aprovam projeto que proíbe a ideologia de gênero nas escolas de Trindade

Em sessão ordinária na Câmara municipal de Trindade, no Sertão do Araripe, realizada nessa Terça feira (05), foi votado o projeto de lei legislativo de nº 09/2017 de autoria do Vereador Francisco Diassis Pereira Freire (Serra Branca). O projeto proíbe a discussão de ideologia de gênero nas escolas do município, sendo que o plano escolar municipal da secretária de educação já tinha retirado essa prática das salas de aula, más o projeto reforça ainda mais o que a secretária já havia confirmado.

A casa legislativa ficou completamente lotada pela população trindadense, principalmente por representantes de diversas igrejas, inclusive com a presença do padre Domingos Pedro, Pároco do município e diversos pastores, além de educadores.

O projeto foi aprovado com 10 votos favoráveis, todos os parlamentares presentes foram a favor do documento.

O Vereador Serra Branca autor do projeto explanou a importância de barrar todo tipo de ideologia de gênero nas escolas. “o objetivo desse projeto é defender nossas crianças e adolescentes, em nome do estatuto da Criança e do Adolescentes, para que os filhos sejam educados da melhor forma possível, em respeito a família que já sofrem as influencias de cenas apresentadas diariamente nas novelas da Rede Globo”, afirmou. (Da Ascom)