Parecer jurídico diz que Lula pode disputar em 2018, mesmo condenado em 2ª instância

Lula recebeu na segunda (16), do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), um parecer jurídico assinado pelo professor Luiz Fernando Casagrande Pereira, do Paraná, afirmando que ele poderá disputar as eleições presidenciais em 2018 ainda que condenado em segunda instância — e ainda que o Superior Tribunal de Justiça e o Supremo Tribunal Federal não concedam liminar para suspender a inelegibilidade que viria com essa sentença.

Segundo Pereira, mesmo nessa situação limite, o PT poderá registrar a candidatura de Lula no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em agosto. Só então ela seria objeto de impugnação. “Ocorre que entre a impugnação e o afastamento de Lula da campanha há uma enorme distância”, diz ele. Se todos os prazos para o julgamento forem cumpridos no TSE, o eventual afastamento só ocorreria em 12 de setembro. Neste intervalo de um mês, Lula já estaria em plena campanha.

SUPRAPARTIDÁRIO

Casagrande Pereira, que elaborou dois pareceres para Michel Temer quando o presidente foi julgado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), estudou o caso de Lula a pedido do PT. (Folha de São Paulo)

Lula diz que está “lascado” mas espera desculpas de Moro, e desafia seus acusadores a ver o que acontecerá no País se o impedirem de ser candidato

Condenado a 9 anos e 6 meses de prisão em primeira instância, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que está “lascado”, mas afirmou esperar “desculpas” do juiz Sérgio Moro. Em um ato em defesa das universidades públicas, Lula subiu o tom contra a Lava Jato e desafiou seus acusadores a ver o que acontecerá no País se o impedirem de ser candidato ao Palácio do Planalto em 2018.

Eu sei que eu estou lascado. Todo dia tem um processo. Não quero nem que o Moro me absolva, só quero que peça desculpas”, declarou o ex-presidente. Muito aplaudido pela plateia, que o chamava de “guerreiro do povo brasileiro”, Lula prosseguiu em sua ofensiva. “Eles agem todo santo dia para me tirar da disputa. Obviamente que eles podem. Juntam meia dúzia de juiz e votam. Não me deixam ser candidato e pronto. Se eles acham que, me tirando da disputa, está resolvido o problema deles, façam e vamos ver o que acontece no País. Se acham que não vou ter força para ser cabo eleitoral, testem.”

Em quase quarenta minutos de discurso, Lula ressuscitou a narrativa do “nós contra eles”, afirmou não poder mais aceitar tantas “mentiras” e disse não ter medo da Lava Jato. Argumentou ainda que, se o objetivo da Lava Jato é não deixá-lo ser candidato, os investigadores não deveriam deixar “o povo sofrer” por causa disso. Apesar de condenado no caso do tríplex do Guarujá (SP) e também ser réu em outras seis ações penais, o ex-presidente lidera todas as pesquisas de intenção de voto.

Acompanhado do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad – que já chegou a ser apontado como plano B do PT na eleição de 2018 -, Lula provocou o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e disse que os petistas devem fazer o oposto do que ele faz. “Se o Bolsonaro agrada ao mercado, nós do PT temos de desagradar ao mercado”, insistiu o ex-presidente. Pré-candidato à Presidência, Bolsonaro está em segundo lugar nas pesquisas, empatado com a ex-senadora Marina Silva (Rede).

Lula lembrou que, em várias campanhas eleitorais, o prédio da Bolsa de Valores de São Paulo fechava as portas, quando havia uma passeata do PT nas redondezas, porque o consideravam um demônio. “Eu não tenho cara de demônio, mas quero que me respeitem como se eu fosse. Eles sabem que, comigo, a economia brasileira não vai ficar mais subordinada ao rentismo”, provocou o petista. Sobraram, ainda, estocadas para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. “Não concordo com tudo o que acontece na Venezuela, mas concordo menos com o ‘seu’ Trump cuidando da Venezuela.”

Gritos de “Fora Temer” marcaram o ato, que reuniu cerca de 400 pessoas no Centro Internacional de Convenções. “Espero que em 1º de janeiro de 2019 esse pesadelo chamado Temer acabe e o senhor assuma para dar a volta por cima e para colocar o Brasil na rota de desenvolvimento”, disse Haddad.

A cúpula do PT pretende manter a candidatura de Lula à Presidência até serem esgotados todos os recursos jurídicos, mesmo que ele seja condenado em segunda instância e vire ficha suja. Nesse cenário, Haddad só será uma opção em último caso. Por enquanto, o ex-prefeito e ex-ministro da Educação pretende concorrer ao Senado. (Isto É)

A maioria dos brasileiros quer Lula na cadeia, diz pesquisa

As provas apresentadas na investigação Lava Jato contra o ex-presidente Luiz Inácio da Silva seriam suficientes para justificar a prisão do petista. Esta é a avaliação de 54% das pessoas entrevistas pelo Datafolha. O levantamento foi publicado nesta segunda-feira (2), pela Folha.

Entretanto, a mesma pesquisa aponta que 40% dos entrevistados avaliaram que o petista não deve ser preso, com base nas provas que apareceram até agora.

A pesquisa também revelou que 5% das pessoas abordadas preferiram não opinar sobre o destino do ex-presidente petista que governou o país entre 2003 e 2010; e elegeu Dilma Rousseff como sua sucessora.

Temer

 O Datafolha também perguntou sobre a situação do atual presidente Michel Temer (PMDB). Para 89% dos entrevistados, a Câmara dos Deputados deve abrir sim o processo contra Temer por organização criminosa e obstrução da Justiça. Se o processo for adiante, Temer pode ser afastado do cargo por seis meses.

De acordo com a pesquisa, apenas 7% dos entrevistados não concordam com a continuidade do processo de investigação do presidente Temer.

Outro lado

O ex-presidente Lula não comentou o resultado da pesquisa do Datafolha com a opinião dos entrevistados sobre a sua prisão. No Twitter, o ex-presidente publicou dados de uma outra pesquisa, do mesmo Datafolha, onde lidera as intenções de votos. O presidente Michel Temer também não comentou a pesquisa. (Do R7)

Lula lidera pesquisa para presidência em todos os cenários; Bolsonaro fica em 2º

Pesquisa do instituto MDA, encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes, aponta que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da lidera em todos os cenários apontados para as eleições do próximo ano. Ele lidera nos dois turnos e nas pesquisas espontânea a estimulada.

Na espontânea, quando não são apresentados os nomes, o petista aparece com 20,2% das intenções de voto, contra 16,6% da pesquisa anterior, em fevereiro. Ele é seguido pelo deputado federal Jair Bolsonaro, com 10,9% (tinha 6,5% em fevereiro) e João Doria, com 2,4% da citações (tinha 0,3% na última).

Em quarto lugar na pesquisa de setembro está Marina Silva (Rede), com 1,5% das citações, sendo seguida pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PTB), ambos com 1,2% dos votos. O atual presidente Michel Temer (PMDB) ficou em nono, lembrado por 0,4% dos entrevistados.

Pesquisa estimulada
No cenário estimulado, Lula aparece com 32,4% das intenções de voto. Assim como na espontânea, Bolsonaro aparece em segundo, 19,8% das citações. Ele é seguido por Marina Silva (12,1%), Ciro Gomes (5,3%) e Aécio Neves (3,2%).

Se o nome do PSDB é Alckmin e não Aécio, as intenções de voto passam a ser de 32% para Lula, 19,4% para Bolsonaro, 11,4% para Marina Silva, 8,7% para Alckmin e 4,6% para Ciro Gomes.

O terceiro quadro apresentado pela MDA no primeiro turno, em que Doria é apresentado como o candidato do PSDB, Lula tem 32,7% das intenções de voto, Bolsonaro tem 18,4%, Marina Silva aparece com 12%, Doria tem 9,4% e Ciro Comes possui 5,2%.

Segundo turno
Nos cenários de segundo turno, Lula tem seu pior desempenho em um possível enfrentamento com sua ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (Rede). Nesse cenário, fica com 39,8% das intenções de voto contra 25,8% de Marina. Em fevereiro, o petista teve 38,9% das citações e Marina, 27,4%.

Já contra o tucano Aécio Neves, Lula tem o seu melhor desempenho. O petista tem 41,8% das intenções de voto contra 14,8% do tucano. Em fevereiro, Lula teve 39,7% e Aécio, 27,5%.

Já o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) seria o adversário com o melhor desempenho contra Lula. Ele aparece com 28,5% de intenções de voto enquanto Lula teria 40,5%. (Da Agência Brasil)

MPF diz que Delcídio mentiu em delação e pede absolvição de Lula

 Ministério Público Federal pediu nesta sexta-feira à Justiça Federal a absolvição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do banqueiro André Esteves no processo que apura a suposta tentativa de ambos de obstruir o andamento da Operação Lava Jato por meio da compra do silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

Os dois eram réus em processo que tramitava em Brasília e no qual o ex-presidente já havia, inclusive, prestado depoimento, em março deste ano. É a primeira vez que o MPF pede a absolvição de Lula em um processo referente à Lava Jato. No processo do tríplex do Guarujá, o juiz Sergio Moro, de Curitiba, absolveu o petista de irregularidade na guarda do acervo presidencial, mas os procuradores haviam pedido sua condenação.

A acusação de tentativa de compra do silêncio de Cerveró havia sido feita pelo ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT) em acordo de colaboração premiada que é agora contestado pelo procurador Ivan Cláudio Marx, que, na mesma peça, pediu à Justiça a anulação de todos os benefícios concedidos a ele “por ter mentido sobre fatos que levaram à abertura de ação penal contra sete pessoas”.  Em nota, o MPF diz que, “se o pedido for aceito, em caso de condenação, o ex-senador poderá ter de cumprir integralmente as penas pelos crimes de obstrução à Justiça e patrocínio infiel” e “também ficará sujeito a responder por falsa imputação de crime”.

Nas alegações enviadas ao juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal em Brasília, responsável pelo caso, Marx refez a forma como ocorreu o fato que gerou a denúncia: o pagamento de R$ 250 mil para que Cerveró não firmasse acordo de colaboração premiada ou, caso fizesse, protegesse Delcídio, e concluiu que não há provas de que Lula e Esteves participaram dos supostos crimes. “Ao contrário do que afirmou Delcídio – tanto na colaboração quanto no depoimento dado à Justiça -, o pretendido silêncio de Cerveró, que à época cumpria prisão preventiva, não foi encomendado ou interessava a Lula, mas sim ao próprio senador”, diz a nota emitida pelo MPF.

Interesse próprio

De acordo com o MPF, as provas coletadas mostraram que o então senador tinha motivos para tentar evitar que Cerveró firmasse o acordo, sendo que o principal deles era impedir a revelação de que ele (Delcídio) teria recebido 4 milhões de reais da construtora UTC como propina e que o dinheiro teria sido usado em caixa dois em sua campanha ao governo do estado do Mato Grosso em 2006.

Para tanto, e por orientação do advogado Edson Siqueira de Ribeiro Filho, nos primeiros anexos entregues ao MPF, Cerveró informara falsamente que os valores haviam sido destinados à campanha presidencial de Lula naquele ano de 2006. Conforme o MPF, “Delcídio estava agindo apenas em interesse próprio”. “E Cerveró estava sonegando informações no que se refere a Delcídio, e não sobre Lula, a quem inclusive imputava fatos falsos, no intuito de proteger Delcídio”, diz a nota do MPF. (Da Revista Veja)

Prefeito tucano adesista a Lula vai ser punido pelo PSDB

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) de Pernambuco abriu procedimento contra o prefeito de Ouricuri, no Sertão do Araripe, Ricardo Ramos, que discursou ao lado de Lula na quinta-feira (31).

Em seu discurso, o tucano disse que todas as forças deram as mãos para receber o maior presidente da história e continuou dizendo “hoje vivemos um dia especial, um dia histórico. Estamos recebendo a presença ilustre do maior mito brasileiro e do Nordeste brasileiro. Recebemos de braços abertos, coração aberto e cheio de carinho”.

Ouça o discurso do tucano Ricardo Ramos:

Prefeito tucano de Ouricuri diz que Lula é “o maior mito brasileiro”

A caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Nordeste tem feito tanto sucesso que até políticos de partidos adversários do PT têm rendido homenagens a Lula.

Foi o que aconteceu nessa quinta-feira (31) em Ouricuri, no Sertão do Araripe pernambucano. Lula foi recebido pelo prefeito Ricardo Ramos, filiado há anos ao PSDB, com o discurso de que “todas as forças deram as mãos para receber o maior presidente da história”. O prefeito entregou a Lula uma bandeira da cidade de Ouricuri.

“Hoje vivemos um dia especial, um dia histórico. Estamos recebendo a presença ilustre do maior mito brasileiro e do Nordeste brasileiro. Recebemos de braços abertos, coração aberto e cheio de carinho”, disse Ricardo Ramos durante o discurso realizado em Ouricuri.

Em seu discurso, Lula agradeceu as homenagens e enfatizou o tom municipalista que marcou seus dois governos. “Tenho orgulho de dizer ao povo de Ouricuri: fui presidente durante oito anos e duvido que tenha um prefeito que diga que eu o destratei“, afirmou. (Brasil 247)

“Tiraram Dilma para barrar as políticas sociais”, diz Lula em Ouricuri

Na quinta-feira (31), em Ouricuri, no Sertão do Araripe, ao lado de várias lideranças locais e regionais, o ex-presidente Lula comentou sobre o golpe que a ex-presidente Dilma Rousseff, segundo Lula, tiraram Dilma para barrar as politicas sociais.

A única razão que eu encontro para terem caçado a Dilma é para barrar as políticas sociais”, denunciou o ex-presidente Lula, a exatamente um ano após o afastamento definitivo da presidenta democraticamente eleita pelo voto do povo. (Imagem: Francisco Monteiro)

 

Lula é recepcionado por uma grande multidão em Ouricuri

 

Uma grande multidão com se ver na imagem esteve presente nessa quinta-feira (31) na Praça Voluntários da Pátria, no centro de Ouricuri, Sertão do Araripe, para ver e ouvir o ex-presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva. A praça ficou pequena pra tanta gente.

Políticos e cidadãos de várias regiões do Sertão de Pernambuco estiveram na Terra dos Voluntários da Pátria e acompanharam atentamente o discurso do ex-presidente Lula. Ao chegar a Ouricuri, Lula foi à residência do prefeito Ricardo Ramos (PSDB), onde conversaram por cerca de meia hora, em seguida se deslocou até o local do ato público, onde foi recepcionado por uma grande multidão, cerca de 20 mil pessoas.

Vestido com uma camisa com o rosto de Luiz Gonzaga, Lula discursou para trabalhadores rurais, sindicalistas e outros trabalhadores que estavam na praça. No palco também estavam o presidente da Fetape, Doriel Barros, o deputado estadual Odacy Amorim, o deputado federal Silvio Costa, o senador Humberto Costa, o prefeito de Granito João Bosco Lacerda e outras lideranças.

Cezar de Preto, ex-prefeito de Ouricuri esteve no ato, vestido com uma camisa vermelha, cor que simboliza o Partido dos Trabalhadores (PT) e também suas campanhas eleitorais.

Emocionado, Lula agradeceu a forma como foi recepcionado em Ouricuri e disse, “Tinha uma região que eu ainda não conhecia em Pernambuco, essa região aqui, o Araripe, eu fiquei pensando, pow! Quais são as duas maiores cidades da região, é Ouricuri e Araripina, escolhi Ouricuri para ser a cidade desse ato, eu não sei por que escolhi Ouricuri ao invés de Araripina, que não dava pra fazer o evento nas duas, mas eu acho que era por causa da qualidade do povo de Ouricuri”, disse.

Hoje: Ouricuri será palco do ato “Pelo Semiárido, pelos Direitos e por Lula”

Hoje, quinta-feira (31), Ouricuri acolherá a “Caravana Lula pelo Brasil”, durante um grande ato, que deverá reunir, além dos habitantes do município, participantes de diversas cidades do Sertão.  O Ato “Pelo Semiárido, pelos Direitos e por Lula”, que pretende denunciar o desmonte das políticas voltadas para o campo, e reafirmar o compromisso com a democracia e contra o golpe, acontecerá na Praça Voluntários da Pátria, a partir das 15h.

A “Caravana Lula pelo Brasil” vem percorrendo todos os estados do Nordeste e se iniciou na Bahia. Em Pernambuco, esteve entre os dias 24 e 26 de agosto. Na ocasião, as populações dos municípios de Ipojuca e do Recife demonstraram todo o afeto que têm por esse que foi o melhor presidente que o Brasil já teve.

Na noite do dia 25, no Recife, diante da multidão que lotou o Pátio do Carmo, no coração da cidade, Lula animou os participantes do ato, afirmando que é necessário continuar lutando para impedir a perda de direitos. “Eu resolvi sair pelo país para tentar despertar consciência e levantar a nossa tropa. Não há que esmorecer, nem que desanimar. Porque aprendemos a ter direitos e não vamos aceitar perdê-los”, disse o ex-presidente.

Neste retorno à seu estado natal, o ex-presidente irá dialogar especialmente com as populações do Sertão. A visita de Lula em Ouricuri acontecerá depois de sua passagem pelo Ceará. Ao final do ato, ele seguirá para Picos, no Piauí. Depois de percorrer algumas cidades daquele estado, irá até o Maranhão, onde a caravana se encerra, no dia 05 de setembro.