Lula lidera intenções de voto para 2018 em todos os cenários, aponta pesquisa Vox Populi

Pesquisa realizada pelo instituto de pesquisas Vox Populi, encomendada pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) e divulgada nesta sexta-feira (4), mostra que a popularidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para as eleições de 2018 se manteve estável, mesmo após a condenação do petista pelo juiz federal Sergio Moro.

Na sondagem, Lula lidera as intenções de voto para a presidência da República no segundo turno em quatro cenários pesquisados: contra Jair Bolsonaro (PEN-RJ) ou João Doria (PSDB-SP), Lula alcança 53% das intenções de voto; se os candidatos forem Geraldo Alckmin (PSDB-SP) ou Marina Silva (Rede-AC), Lula bate ambos com 52% dos votos.

Nesses cenários imaginados pela pesquisa, Bolsonaro teria 17% dos votos. Já Alckmin, Doria e Marina alcançariam, no máximo, 15% do total de votos, cada um.

O Vox Populi destaca uma variação de 40% em junho para 42% agora de entrevistados que afirmam que votariam no petista. Para Marcos Coimbra, diretor do Instituto Vox Populi, vários dados pesquisa podem explicar porque Moro não acabou com as intenções de voto positivas no ex-presidente.

“Um deles, muito importante, é que, para 42% dos entrevistados, Moro não provou a culpa de Lula no caso do tríplex do Guarujá. Para 32%, Moro provou e, outros, 27% não souberam ou não quiseram responder”, afirma Coimbra.

Bolsonaro é o segundo colocado quando nomes não são apresentados

No cenário em que os entrevistados não recebem cartela com nomes e citam espontaneamente em quem pretendem votar para presidente da República em 2018, o segundo colocado é Bolsonaro, com 8% das intenções de voto.

Marina vem em terceiro, com 2%; e, embolados com apenas 1% dos votos aparecem Moro (sem partido), Ciro Gomes (PDT-CE), Joaquim Barbosa (sem partido), Doria, Fernando Henrique e Alckmin.

Aécio Neves (PSDB-MG) zerou novamente, como havia zerado em junho, após as denúncias de corrupção feitas pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

No cenário em que a intenção de voto foi estimulada com Alckmin, o tucano atinge 6% das intenções de voto e Lula, 47%. Bolsonaro tem 13%, Marina, 7%, e Ciro, 3%.

Na estimulada com Doria, Lula tem 48% das intenções de voto, Bolsonaro manteve os 13%, Marina subiu para 8% e o prefeito de São Paulo empatou com Ciro Gomes, com 4%.

“O pessimismo dos brasileiros com o momento econômico e político atual e o descrédito no governo Temer, aliados as lembranças de um passado recente de que a vida era melhor nos governos do PT, ajudam a explicar porque as intenções de voto no presidente Lula são as que mais crescem em todos os cenários da pesquisa”, analisa Coimbra.

Lula é apontado como melhor presidente do Brasil por 55%

Segundo ele, outros dados da pesquisa CUT-Vox, ajudam a entender essa tese. Um deles é o aumento de 49% para 55%, entre junho e julho deste ano, do percentual de entrevistados que apontam Lula como o melhor presidente que o Brasil já teve – o outro nome lembrado é o de Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP), com 15%.

Além disso, 58% dos brasileiros consideram Lula um bom administrador, 65% dizem que ele é trabalhador e 61% afirmam que a vida melhorou nos 12 anos de governos do PT.

Já o presidente da CUT, Vagner Freitas, ressalta que o pessimismo dos brasileiros com o governo Temer vem aumentando rapidamente mês a mês por causa do desemprego recorde – mais de 13,5 milhões de trabalhadores estão desempregados – e das medidas de arrocho salarial, previdenciário e social.

Para Vagner, isso explica dados da pesquisa como os de que, com Temer, a vida piorou para 61% dos entrevistados – em junho o percentual era de 52%.

Aumentou também o pessimismo e a descrença quanto a capacidade de Temer de controlar a inflação – em junho, 62% achavam que a inflação ia aumentar. Em julho, esse percentual pulou para 75%. Cresceu também o percentual dos que acham que vai aumentar o desemprego no Brasil – de 68% em junho para 72% em julho.

A pesquisa CUT/Vox Populi, realizada nos dias 29 e 31 de julho, entrevistou 1999 pessoas com mais de 16 anos, em 118 municípios, em áreas urbanas e rurais de todos os estados e do Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior.

A margem de erro é de 2,2 %, estimada em um intervalo de confiança de 95%. (Jornal do Brasil)

LULA: Temer gastou 14 bi para ficar no poder e quer economizar no ‘feijão do trabalhador’

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou duramente a compra de parlamentares feita por Michel Temer que resultou no arquivamento pela Câmara da denúncia de corrupção passiva feita pela Procuradoria Geral da República. “O gasto que eles querem cortar não é o gasto com eles, é o gasto com o povo. Porque o seu Temer, que estava fazendo economia, gastou com 267 deputados R$ 14,2 bilhões para ficar no poder”, disse Lula durante um evento com militantes do PT, em São Paulo.

Lula também condenou a dubiedade do discurso oficial do governo Temer que prega “austeridade” cortando empregos e subtraindo direitos históricos da população em nome do ajuste fiscal e do crescimento econômico. “Eles agora querem fazer economia, mas nunca cortando as coisas deles. O Temer acabou de gastar R$ 14 bilhões para se garantir no poder, que economia é essa? Em cima do feijão, dos direitos dos trabalhadores?”, perguntou.

Lula também ressaltou que a sentença de 9,5 anos de prisão, imposta pelo juiz Sérgio Moro contra ele no âmbito da Lava Lato, não o fará “abaixar a cabeça”. “Minha mãe morreu analfabeta com 70 anos, mas nunca reclamava: ela sempre achava que no outro dia ia melhorar. Se eles acham que contando mentira a meu respeito vão me fazer abaixar a cabeça, eles não sabem o que é um nordestino que sobreviveu à fome com sete anos de idade“, afirmou.

Ele também exortou a militância a se engajar e ter otimismo para o futuro. “Se eu estou animado desse jeito, porque vocês vão desanimar? Nós aprendemos que esse país pode ser diferente, e já sabemos que nós podemos fazer diferente”, disse. “Foi a geração de emprego e o aumento de salário fez o pobre começar a gastar. Se eles não sabem como resolver o problema desse país, que deixem quem sabe resolver”, completou. (Brasil 247)

‘Querem massacrar o coitadinho que veio de Garanhuns’, diz Lula

Alvo da Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira, 24, que está sendo “massacrado” 24 horas por dia, defendeu a regulamentação da mídia, desafiou a Justiça a provar algum desvio de conduta cometido por ele e afirmou estar ansioso pelo depoimento ao juiz Sérgio Moro, inicialmente marcado para o próximo dia 3 de maio, em Curitiba.

“Eu não sou de reclamar, mas ninguém aguenta. São quase 18 horas tentando massacrar esse pobre coitadinho que veio de Garanhuns (PE)”, afirmou Lula, no seminário Estratégias para a Economia Brasileira – Desenvolvimento, Soberania, Inclusão.

Quatro dias após o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro ter dito a Moro que Lula pediu a ele, em maio de 2014, para destruir provas sobre pagamento de propinas ao PT, o petista afirmou que os delatores sofrem “pressão” para incriminá-lo. “O que fizeram em cima do Leo dando depoimento? O cara já está condenado a 26 anos. Temos de ter claro como as coisas acontecem. Desse jeito, o cara fala até da mãe”, afirmou. Ao lembrar que hoje muitos delatores vivem em “mansões”, Lula foi ovacionado pela plateia.

O ex-presidente disse desconhecer um possível adiamento de seu depoimento a Moro, “Isso não é problema meu”, afirmou ele, ao ser questionado por repórteres quando chegou ao Centro Internacional de Convenções, em Brasília, para participar do seminário promovido pela bancada do PT. Ao discursar, Lula disse que ninguém mais do que ele deseja a “verdade” dos fatos.

“É a primeira oportunidade na qual eu vou ter de viva voz o direito de me defender. O direito que tenho de falar, porque faz três anos que estou ouvindo. Agora, parece que a grande prova contra mim é um pedágio”, afirmou o ex-presidente, numa referência a documentos, em poder do Ministério Público, mostrando que carros do Instituto Lula passaram por um pedágio em direção ao litoral paulista. Lula é acusado de ser o proprietário oculto de um triplex no Guarujá, que foi reformado pela OAS.

Réu em cinco ações penais, sendo três no âmbito da Lava Jato, o ex-presidente foi recebido no evento como candidato ao Palácio do Planalto. “Lula, guerreiro, do povo brasileiro”, gritavam os militantes do PT. Em tom irônico, ele disse que a imprensa brasileira é “democrática”. “Eu os amo de coração”, afirmou.

Com discurso de candidato, Lula disse que vai defender a regulamentação dos meios de comunicação na campanha. “Temos que dizer, durante a campanha, algumas verdades que são duras”, destacou. “Ser candidato para depois dizer que você tem que jantar com os Marinho, almoçar no Estadão… E a Veja, você vai conversar? Não vou”, comentou, arrancando mais aplausos da plateia. “Eles vão ter que aprender que estão lidando com um cidadão diferente, que tem mais honra, mais caráter e é mais honesto do que eles.”

Em 40 minutos de discurso, Lula afirmou que é tratado “pior do que os outros” pela mídia. “Não vou virar as costas para vocês para não verem a quantidade de chibatadas que levei“, afirmou. “Vocês sabem que sou homem de paz. Está chegando de parar com falatório e apresentar prova. Quero que mostrem R$ 1 meu fora do País. Provem um desvio de conduta, quando eu era presidente e depois da Presidência. Quero que saibam que estou com muita vontade de brigar, para fazer a boa briga”, disse. “Se não sabem como sair das mentiras que inventaram, que se virem.” (Do Estadão)

Marcelo Odebrecht diz a Moro que Lula recebeu dinheiro em espécie

O empresário Marcelo Odebrecht confirmou nesta segunda-feira ao juiz Sérgio Moro que “Amigo” era o codinome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na planilha de propinas da empresa. Segundo ele, a entrega de valores a Lula era feita por Branislav Kontic, assessor do ex-ministro Antonio Palocci. O empresário confirmou ainda que Palocci intermediava as remessas de dinheiro para o PT e era o “Italiano” na planilha de pagamentos da empresa.

O ex-ministro Guido Mantega, que sucedeu Palocci no Ministério da Fazenda, também teria passado a ser responsável pela movimentação de recursos para o PT, tendo sido batizado com o codinome de “Pós-italiano” ou “Pós-itália”. O empresário confirmou todos os repasses anotados na planilha do Setor de Operações Estruturadas, que ficou conhecido como departamento de propinas.

O empreiteiro afirmou que as duas versões de planilhas do Setor de Operações Estruturadas, que registram repasses da empresa ao PT, são verídicas.

A primeira, datada de 31 de junho de 2012, traz a informação de que havia R$ 23 milhões à disposição de Lula, identificado pelo codinome “Amigo”. A segunda, de 31 de março de 2014, aponta um saldo de R$ 10 milhões para o mesmo destinatário.

A diferença de R$ 13 milhões teria sido sacada entre os 21 meses que separam as duas versões da planilha. Os saques para Lula teriam sido identificados na tabela “Programa B”. Marcelo Odebrecht explicou no depoimento prestado ontem que “B” é uma referência a Branislav Kontic, que retirava o dinheiro em espécie e entregava ao ex-presidente Lula. (O Globo)

Lula lidera intenções de voto com 65% em Pernambuco

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece na liderança da corrida presidencial em Pernambuco e, caso as eleições fossem hoje, ele estaria eleito com 65% dos votos, segundo pesquisa realizada pela Uninassau.

Logo em seguida, aparecem Jair Bolsonaro (PSC) e Marina Silva, empatados com 6%. Também aparecem empatados na preferência dos pernambucanos o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), o senador mineiro Aécio Neves (PSDB) e Ciro Gomes (PDT). Michel Temer nem não pontuou.

O estudo, realizado entre os dias 23 e 24 de março junto a 2.014 eleitores de todo o Estado, possui margem de erro de 2,2% e o índice de confiança é de 95%. Lula também lidera na pesquisa espontânea, com 58,8%, sendo seguido por Jair Bolsonaro (5,1%), Marina Silva (3,3%) e pela presidente deposta Dilma Rousseff (1,5%). Outros 3,2% citaram outros candidatos e 1,1% não escolheu nenhum candidato. Os que não responderam ou não souberam responder somaram 27% dos entrevistados.

A pesquisa também aponta que a gestão de Michel Temer é reprovada por 91% dos pernambucanos, sendo aprovada por apenas 5% da população. Ele também é apontado como o pior presidente do Brasil.

Durante seminário, Lula ataca procurador ‘O que aquele moleque conhece de política?’

Réu em cinco processos, três deles provenientes da Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou o procurador da República, Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa que investiga o esquema de corrupção na Petrobras, de “moleque”. Segundo Lula, Dallagnol, que é fiel da Igreja Batista, acha que “sentar em cima da Bíblia dele” é a solução dos problemas do País.

Com a voz fraca e abatido por uma virose, Lula falou menos de 10 minutos e chegou a chorar ao dizer que fez um esforço para comparecer ao evento apenas para dar uma satisfação aos mais de 200 convidados que lotaram o auditório de um hotel em São Paulo. Além de dirigentes petistas, o seminário contou com a presença de juristas, jornalistas, petroleiros e políticos de outros partidos.

No discurso, Lula também defendeu o projeto de lei do abuso de autoridade. A posição do ex-presidente foi endossada pelo presidente do PT, Rui Falcão. “O que o Lula falou é o que nós achamos também. Ninguém pode se colocar acima da lei”, disse Falcão.

Ouça o desabafo do ex-presidente Lula:

‘Vamos voltar a governar este país’, diz Lula em ato em Salvador

lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira (11) em Salvador, durante encontro com militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que vai voltar a ser presidente da República.  “Se preparem, porque, se necessário, eu serei candidato. Se eu for candidato, é para a gente ganhar as eleições. Nós vamos voltar a governar este país”, disse a uma plateia que usava bonés vermelhos com a inscrição “Estamos com Lula” e gritavam “Brasil pra frente, Lula presidente”.

O petista também afirmou que espera receber desculpas daqueles que o acusam hoje por crimes de corrupção. “A única coisa que eu peço a Deus é que essas pessoas, quando chegarem à conclusão de que não tem nada contra mim, peçam desculpas”, afirmou.

Segundo ele, o ódio construído contra seu governo está prejudicando o Brasil. “Não é possível que o ódio que eles têm de mim faça com que prejudiquem o País”, afirmou no discurso, no qual também criticou a gestão de Michel Temer (PMDB).

“O que está acontecendo no Brasil é algo anormal. Esse país não pode sair da alegria, do otimismo e da esperança que estava para a desgraça que estamos vivendo hoje”, disse.

Ele acusou Temer de entregar a Petrobras a multinacionais e destruir todas as políticas de valorização nacional da empresa. Lula defendeu que o governo federal precisa voltar a fazer investimentos diretos e a bancar financiamentos a pequenos empresários e consumidores através dos bancos públicos.

O ex-presidente disse ainda que durante este ano vai andar pelo país para recuperar a imagem do PT e a sua própria imagem. Ele voltou a afirmar que a legenda está sendo criminalizada pela mídia e pela Justiça.

Lula é réu em cinco processos judiciais, sendo três deles no âmbito da Operação Lava-Jato – dois estão com o juiz Sergio Moro, alvo de constantes críticas do petista e de seus advogados, que o consideram parcial. O ex-presidente também é réu em ações decorrentes das operações Zelotes e Janus. Uma condenação em segunda instância pode torná-lo inelegível para 2018. (Do Estadão Conteúdo)

Polícia Federal indicia Lula, Marisa Letícia, Palocci e outras 5 pessoas na Lava Jato

lula

A Polícia Federal (PF) decidiu indiciar o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci, a ex-primeira-dama Marisa Letícia e outras quatro pessoas, na Operação Lava Jato.

O ex-presidente foi indiciado pelo crime de corrupção passiva, enquanto todas as demais pessoas citadas foram indiciadas por lavagem de dinheiro.

Veja a lista de indiciados

Luiz Inácio Lula da Silva – ex-presidente da República

Marisa Letícia Lula da Silva – ex-primeira-dama

Antônio Palocci Filho – ex-ministro nos governos Lula e Dilma

Glaucos da Costamarques – primo do pecuarista José Carlos Bumlai, já condenado na Lava Jato

Demerval de Souza Gusmão Filho – Dono da empresa DAG Construtora

Roberto Teixeira – Advogado do ex-presidente Lula

Branislav Kontic – Assessor do ex-ministro Palocci

Lula se reúne com bancada do PT em defesa do partido e da democracia

lula

O deputado federal Waldenor Pereira, junto com toda bancada do PT na Câmara dos Deputados, participou de encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na manhã desta segunda-feira (7), em São Paulo.

Parlamentares de todo o país se deslocaram até a capital paulista para debaterem a atual conjuntura política nacional e os desafios que o partido irá enfrentar no próximo período, além das pautas em tramitação na Câmara e a resistência à PEC 241.

Odebrecht teria construído estádio do Itaquerão como presente para Lula

lulaO envolvimento do estádio do Corinthians com a construtora Odebrecht, responsável pela obra, acaba de ganhar novo capítulo polêmico neste domingo. A empresa, alvo da Operação Lava Jato da Polícia Federal devido a esquemas de corrupção, teria construído a arena em Itaquera para presentear Lula, ex-presidente da república, em espécie de agradecimento ao apoio dado pelo governante para a empreiteira durante seus mandatos.

A denúncia publicada na Folha de S.Paulo deste domingo, parte justamente de um representante da empresa: Emílio Odebrecht, patriarca e presidente do conselho de administração do grupo, que revelou a informação devido a delação premiada feita pela empresa com as autoridades.

A partir de 2003, ano em que Lula iniciou seu primeiro mandato presidencial, a Odebrecht viu seu faturamento aumentar de maneira considerável: do período, até 2015, o crescimento da receita do grupo foi de R$ 17,3 bilhões para R$ 132 bilhões.

A obra do estádio corintiano, que foi realizada entre 2011 e 2014, foi conduzida por Emílio, Lula e o presidente alvinegro à época do início da construção, Andrés Sanchez. O custo total para colocar a arena de pé chegou a R$ 1,2 bilhão. O BNDES e títulos da Prefeitura de São Paulo ajudaram a financiar o projeto.

Marcelo Odebrecht, filho de Emílio e herdeiro da empreiteira, acabou preso em decorrência da Operação Lava Jato, em março deste ano. Foi condenado a 19 anos e 4 meses de prisão, por corrupção, lavagem de dinheiro e fazer parte de organização criminosa.

Desde então, a empresa resolveu fazer um acordo com o Ministério Público e assinar a delação premiada para colaborar com o trabalho das autoridades, com Emílio sendo um dos principais delatores para a Justiça, devido a relação próxima com o Governo Federal nos anos de amplo crescimento do grupo.