Lula, Paulo Câmara e Jarbas lideram corrida eleitoral em Pernambuco, diz o Instituto Múltipla

Armando e Paulo

Foto: Reprodução

Pesquisa do Instituto Múltipla (Arcoverde) divulgada nesta quinta-feira (8), contratada pelo próprio e registrada no TRE-PE e no Tribunal Superior Eleitoral, revela que Lula (PT), Paulo Câmara (PSB) e Jarbas Vasconcelos (MDB) lideram a corrida eleitoral em Pernambuco, o primeiro para presidente, o segundo pra governador e o terceiro para o Senado.

O Instituto realizou 600 entrevistas entre os dias 2 e 6 deste mês de março, em todas as regiões do Estado, seguindo a estratificação do IBGE.

Para presidente, Lula (PT) tem 66,5% das intenções de voto, ante 11% de Jair Bolsonaro (PSL), 5,8% de Marina Silva (Rede), 2% de Geraldo Alckmin (PSDB) e 2% de Ciro Gomes (PDT). Na pesquisa de janeiro deste ano, o ex-presidente tinha 63% e Bolsonaro 11,8%.

Dado importante: 45,7% dos pernambucanos responderam que votariam “com certeza” no candidato que Lula eventualmente vier a apoiar, se porventura não for candidato. Por outro lado, 49,3% votariam “com certeza” no candidato dele a governador (alô, alô, Marília Arraes!).

Para governador, o instituto trabalhou com quatro cenários e Paulo Câmara lidera em todos eles. A pesquisa é estimulada, ou seja, o entrevistador cita o nome dos candidatos e pergunta ao eleitor em quem ele votaria.

No cenário 1, com Paulo Câmara (PSB), Marília Arraes (PT) e Fernando Bezerra Coelho (MDB), o governador teria hoje 34,3% dos votos, a vereadora 21,3% e o senador 6%. Brancos, nulos e indecisos totalizam 33,5%. Em relação à pesquisa de janeiro, o governador cresceu de 26,8% para 34,3% e Marília caiu de 23,3% para 21,3% (oscilação dentro da margem de erro, o que ocorreu também com o senador.

No cenário 2, Paulo Câmara (PSB) tem 31%, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) 19% e Marília Arraes (PT) 18,5%. Em relação à pesquisa de janeiro, o governador cresceu 8 pontos percentuais, Armando caiu 4 e Marília caiu 1 (oscilação dentro da margem de erro).

No cenário 3, Paulo Câmara (PSB) tem 41% e Fernando Bezerra Coelho (MDB) 10,2%. Brancos, nulos e indecisos totalizariam 44%. Em relação à pesquisa anterior, o governador cresceu 6 pontos percentuais e o senador caiu 2.

No cenário 4, que é o mais provável, na atualidade, caso se confirme a decisão do PT de “barrar” a candidatura de Marília Arraes, o governador tem 36,3% e o senador Armando Monteiro (PTB) 25,2%. Brancos, nulos e indecisos totalizam 34%.

Neste cenário, que é de confronto direto entre Paulo Câmara e Armando Monteiro, o governador venceria em todas as regiões do Estado, à exceção da Zona da Mata, onde perderia para o seu adversário por 33 x 29,5%.

Em relação à pesquisa de janeiro, Paulo Câmara subiu de 28,2% para 36,3% e Armando caiu de 30,2% para 25,2%.

Para o Senado, na pesquisa estimulada, Jarbas Vasconcelos (MDB) tem 19,7%, Humberto Costa (PT) 12,7%, Armando Monteiro (PTB) 11,6%, Mendonça Filho (DEM) 10,8%, André Ferreira (PSC) 3,8%, empatado com Sílvio Costa (Avante) que tem o mesmo percentual, Antonio Campos (Podemos) 3,5%, Luciana Santos (PCdoB) 3,2% e José Queiroz (PDT) 3%. Brancos, nulos e indecisos totalizam 47%. (Inaldo Sampaio)

Recurso de Lula no TRF4 será julgado no dia 24 de janeiro

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) marcou para o dia 24 de janeiro de 2018 o julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contra condenação pelo juiz Sergio Moro a nove anos e meio de prisão no caso do tríplex do Guarujá, um dos processos decorrentes das investigações da Operação Lava Jato.

A data foi marcada nesta terça-feira pelo tribunal, a segunda instância da Justiça Federal, depois que o revisor do processo, o desembargador Leandro Paulsen, concluiu a sua análise do processo e pediu à secretaria da 8ª Turma do tribunal, onde o caso tramita, para marcar uma data para o julgamento.

O desfecho do recurso pode tornar inelegível o ex-presidente, que lidera as pesquisas eleitorais para a eleição presidencial de 2018. Caso ele seja condenado em segunda instância, além de ficar passível de ter a candidatura vetada pela Lei da Ficha Limpa, ele pode ser preso.

Apesar da rapidez da tramitação do processo de Lula, o presidente do TRF4, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, disse que Lula será julgado de forma “desapaixonada”. “A 8ª Turma vai julgar de forma isenta, imparcial e desapaixonada, como o Poder Judiciário deve ser”, falou o magistrado.

Lula lidera intenções de voto para 2018, revela pesquisa Datafolha

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue na liderança para a Presidência, nas eleições de 2018, em todos os cenários, segundo pesquisa Datafolha divulgada neste sábado, 2. O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) está isolado em segundo lugar da corrida presidencial. Aqui, Lula lidera com 34% e Bolsonaro o segue com 17%. Marina Silva (Rede) aparece numericamente acima do pelotão encabeçado por Alckmin e Ciro, mas tecnicamente empatada com ambos.

É a primeira pesquisa divulgada após o fortalecimento do nome do governador Geraldo Alckmin (PSDB) como candidato tucano ao Planalto. O tucano aparece em quarto lugar na disputa, empatado numericamente com o ex-governador Ciro Gomes (PDT, 6%) e tecnicamente com o ex-ministro do Supremo Joaquim Barbosa (sem partido mas cortejado pelo PSB, 5%) e o senador Alvaro Dias (Podemos, 3%).

Na pesquisa espontânea, quando a intenção de voto é questionada sem apresentação de nomes, Lula surge com 17% das citações e Bolsonaro, com 11%. Todos os outros pontuam de 1% para baixo. O “ninguém” tem 19% e não sabem afirmar em que candidato votariam, 46%.

Segundo turno

Lula ganha em todos os cenários de segundo turno. Ele ampliou em quatro pontos percentuais sua vantagem, em relação à pesquisa feita no fim de setembro, no confronto com Alckmin (52% a 30%), Marina (48% a 35%) e Bolsonaro (51% a 33%).

Sem o nome do petista, a pesquisa apresenta Bolsonaro com 21%, Marina com 16% e Ciro se beneficiando de votos do petista, com 12%. Alckmin segue com 9%, empatado tecnicamente com Alvaro Dias (5%).

O instituto fez 2.765 entrevistas entre 29 e 30 de novembro, em 192 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos. (Carta Capital)

Armando Neto diz que, se Lula estiver com Paulo Câmara em 2018, não terá como votar nele

O senador Armando Monteiro Neto, do PTB, disse, na Rádio Jornal, que se o PT fizer uma aliança com o PSB ele não terá como estar ao lado do ex-presidente, nas eleições de 2018, como ocorreu nas eleições passadas.

“A política é um fato local. Se o ex-presidente Lula estiver ao lado do governador Paulo Câmara em 2018, não terei como votar nele nas próximas eleições”, afirmou, demarcando os palanques das próximas eleições.

No debate com Geraldo Freire, Armando Monteiro disse que o senador Fernando Bezerra Coelho foi mal interpretado, nesta semana, ao falar que seria candidato. Ele disse que FBC colocou seu nome à disposição dos partidos de oposição, como acontece com ele próprio, Mendonça Filho e Bruno Araújo.

Na prática, o senador, que já esteve no palanque do PT, contra os socialistas, busca uma vacina contra as críticas que já recebe dos petistas, pelo interior. Uma das críticas é de que votou a favor da reforma trabalhista, supostamente ‘contra o interesse dos trabalhadores’. (Por JC Online)

Lula a Huck: ‘adoraria disputar com alguém com logotipo da Globo na testa’

Além de provocar Luciano Huck, Lula diz que estão tentando emplacar na campanha presidencial 2018 o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa.

Indagado sobre o atual governo, Lula reiterou que considera o presidente Michel Temer (PMDB) fraco.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou na manhã desta quinta-feira, 23, que não vê possibilidade de não disputar a Presidência da República nas eleições gerais de 2018. E provocou o apresentador de TV Luciano Huck (sem partido), destacando que tudo o que mais deseja na vida é “disputar (a cadeira presidencial) com alguém com o logotipo da Globo na testa”.

Em entrevista à Rádio 730 AM de Goiás, na manhã desta quinta, Lula disse não acreditar em candidaturas outsiders (candidato de fora do cenário político) e que gostaria de ver “o que eles querem para o Brasil”. “Ainda não discutimos candidatura, mas a minha disposição é ser candidato e fazer o povo voltar a andar de cabeça erguida. Quem salvou o Brasil uma vez, pode salvar o Brasil de novo”, emendou. (Brasil 247)

Lula declara: “Não vai ser difícil ganhar as eleições de 2018”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou neste domingo, 19, que “não vai ser difícil” ganhar as eleições presidenciais de 2018, mas defendeu uma mudança de estratégia dos partidos de esquerda para barrar as propostas do governo Michel Temer no Congresso.

Ele avaliou que a oposição está fragilizada e lamentou que não tenha conseguido barrar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e propostas que, na sua avaliação, representam um retrocesso com relação aos avanços das gestões petistas, como a reforma trabalhista.

“Éramos contra reforma trabalhista, e ela aconteceu, éramos contra a Previdência, e se não tomarmos cuidado, vai acontecer”, disse o petista, ao discursar no Congresso do PCdoB. Lula afirmou que o governo Michel Temer é “fraco” e, por isso, se submete “aos interesses do mercado”.

“Nenhum presidente fraco é respeitado.” “Os congressistas que estão votando pelo desmonte não têm compromisso conosco. Nunca vi tanto deputado reacionário, tanto troglodita, e se não tomarmos cuidado vai piorar na próxima eleição”, disse.

Ele declarou que é preciso evitar a aprovação da reforma da Previdência, que “está acontecendo concomitantemente com o desmonte da Petrobras”.

Não tenho mais idade de ficar criando movimento ‘fora Temer’ e ele estar dentro, de ficar gritando não vai ter golpe e ter golpe. Vamos ter que parar de gritar e evitar que isso aconteça mesmo. Isso não pode continuar acontecendo debaixo da nossa barba.”

Segundo ele, estão querendo desmontar a Petrobras porque “eles não são políticos, são usurpadores.” E continuou: “Eles não têm compromisso com o povo brasileiro, querem fazer o desmonte, destruir o BNDES, a Eletrobras, a Caixa, desmontar a cidadania.”

No discurso, Lula disse que, se não fosse pela sua teimosia e a do PT, não teria chegado à Presidência da República. E que provou que era possível a esquerda transformar este País, citando melhorias em salário, educação e na própria inserção do Brasil no exterior. “Deixamos de falar ‘fino’ com os Estados Unidos.”

“Tiramos o País do mapa da fome.” E lamentou que o sonho que a gestão petista sonhou “infelizmente está sendo aos poucos desmontado”. “Estava tudo preparado para o Brasil se tornar a 5ª economia do mundo.(Exame)

TSE vai julgar Bolsonaro e Lula por antecipação de campanha

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) entraram na mira do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por propaganda eleitoral antecipada. A Corte Eleitoral deve julgar ainda neste ano dois processos que envolvem a divulgação na internet de vídeos que fazem referência às candidaturas de Lula e Bolsonaro ao Planalto. Os dois, que lideram as pesquisas, já anunciaram publicamente a intenção de concorrer em 2018.

Na Corte Eleitoral, a avaliação é a de que esses julgamentos devem estabelecer as balizas que nortearão o entendimento do tribunal sobre o tema nas eleições de 2018. A legislação permite a propaganda eleitoral somente a partir de 15 de agosto do ano da eleição e prevê multa de R$ 5 mil a R$ 25 mil para quem violar a restrição.

O primeiro caso que está na pauta é o de Bolsonaro. Em 21 de setembro, o TSE iniciou o julgamento sobre a retirada da internet de vídeos de apoio ao deputado fluminense. O ministro Admar Gonzaga, que havia solicitado mais tempo para analisar o caso, deve devolver o pedido de vista nos próximos dias.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) questiona a publicação no YouTube de vídeos que mostram o parlamentar sendo recepcionado em aeroportos por simpatizantes. Para o MPE, as gravações fazem “clara menção à pretensa candidatura” do deputado. Além de acusar Bolsonaro de ter conhecimento prévio das gravações e pedir a retirada do material, o MPE quer que o deputado se abstenha de veicular peças de conteúdo similar até o início do período eleitoral do ano que vêm.

Em um dos vídeos, intitulado “Bolsonaro 2018 Vamos juntos”, o narrador fala em “apoiar o futuro presidente”. O deputado então diz que “2018 está muito longe, vamos para a rua a partir de agora. A presença de todos ajudará para mostrar que nós não estamos a favor dessa ‘canalhada’ que está no poder”. Único a votar até aqui, o relator do caso, ministro Napoleão Nunes, não viu propaganda eleitoral antecipada nos vídeos. (Com informações do UOL)

Lula lidera corrida presidencial em 2018, mostra Ibope

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lidera com folga a corrida presidencial para 2018, mostrou neste domingo (29) uma pesquisa realizada pelo Ibope e divulgada pelo jornal “O Globo”.

Se as eleições fossem hoje, Lula teria 35% dos votos contra 13% do deputado federal Jair Bolsonaro – na pesquisa estimulada, quando os nomes dos possíveis candidatos são falados pelo entrevistador.

Após os dois, aparecem a ex-senadora Marina Silva, com 8%, seguida pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e pelo apresentador de TV, Luciano Huck, com 5% cada. Já o prefeito de São Paulo, João Dória, tem 4% dos votos e o ex-ministro Ciro Gomes aparece com 3%.

A pesquisa também simulou um resultado sem Lula e, neste caso, Bolsonaro e Marina lideram com 15% das intenções de voto. Huck (8%), Ciro (7%), Alckmin (7%) e Dória (5%).

Neste cenário, foi apresentado o nome do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, em susbtituição ao ex-presidente, e ele teria 1%.

O Ibope também fez uma pesquisa espontânea, onde o entrevistado diz o nome de quem votaria sem ter nenhuma opção apresentada pela pesquisa. Neste quadro, Lula teria 26% das intenções de voto, Bolsonaro teria 9% e Marina aparece com 2%. Alckmin, Ciro, Doria, a ex-presidente Dilma Rousseff e o atual, Michel Temer, teriam 1% dos votos.

Ao todo, foram entrevistadas 2.002 pessoas em todos os estados brasileiros entre os dias 18 e 22 de outubro. Essa foi a primeira vez que o Ibope fez uma pesquisa prevendo o cenário eleitoral para a disputa de 2018. (Jornal do Brasil)

‘Nunca roubei nem uma maçã para não envergonhar minha mãe’, diz Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a atacar na sexta-feira (27) integrantes da Operação Lava-Jato e a dizer que não há outra forma de barrar sua vitória em 2018 a não ser pelo voto.

Líder nas pesquisas, Lula e o PT convivem com a dúvida se ele poderá disputar ou se será impedido por uma eventual condenação em segunda instância em um dos processos sobre corrupção de que é alvo.

“Só tem um jeito de eles me barrarem: é ganhar de mim nas eleições de 2018”, disse Lula num palanque armado na praça central de Montes Claros, principal cidade no norte de Minas Gerais. Foi o local onde ele realizou mais um comício no interior do Estado, onde tem feito pré-campanha desde segunda-feira.

Lula chamou de “bando de meninos” os integrantes da Lava-Jato e disse que não vai permitir que eles julguem “a história de um homem de 72 anos” que se dedicou aos mais pobres. Ele fez aniversário hoje.

Num tom desafiante e já corriqueiro, Lula disse que seus acusadores parecem estar acostumados com políticos que diante de qualquer denúncia “enfiam o rabo entre as pernas”.

Sob gritos e aplausos de um público que lotou a praça, ele insistiu na tecla de que é acusado injustamente.

Disse que nunca roubou nem uma maçã quando garoto para não envergonhar sua mãe. “Não é aos 72 anos que eu vou roubar um centavo para envergonhar milhões e milhões de pessoas que confiaram em mim”.

No palanque também estava a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a presidente nacional do partido, a senadora Gleisi Hoffmann (PR), deputados, lideranças regionais petistas, além de dirigentes da CUT e do MST.

A mensagem dos oradores que o antecederam foi uma só: a de colocar antecipadamente em dúvida as eleições do ano que vem caso Lula seja impedido de disputá-las.

Dilma, afastada do cargo no ano passado pelo processo de impeachment, sintetizou a ideia do partido afirmando que o crucial é “impedir que tenhamos uma eleição fajuta”.

E acrescentou: “Só não será [eleição] de cartas marcadas se o presidente Lula puder concorrer”.

Lula já foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sérgio Moro, decisão que, se confirmada, em segunda instância, poderá torná-lo inelegível.

A viagem por Minas e outras já programadas pelo Pará, Amazonas, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e depois pelo Centro-Oeste são vistas como uma agenda de pré-campanha para consolidar sua candidatura e sua força eleitoral, o que poderia tornar mais difícil uma decisão judicial que venha impedir de ele disputar.

Antes do ato da noite, o ex-presidente se encontrou com o empresário Josué Gomes da Silva, do grupo têxtil Coteminas, fundado por José Alencar, vice-presidente da República em seus dois mandatos.

Lula volta a subir em palanques no fim de semana em cidades do interior de Minas e na segunda-feira encerra seu roteiro num comício em Belo Horizonte.

Lula diz que doará apartamentos e sítio ao MTST se Justiça provar que são seus

Em visita a uma ocupação do Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST) no ABC, nesse sábado, o ex- presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a afirmar que os processos a que responde na Justiça são fruto de perseguição política e ironizou as acusações de que seja dono de imóveis não declarados. Em um discurso aos sem-teto da ocupação, Lula disse que se conseguirem provar que o triplex no Guarujá, o apartamento vizinho à sua cobertura em São Bernardo do Campo e o sítio de Atibaia forem seus, ele vai doá-los ao MTST.

“Estejam preparados, porque vocês podem ganhar dois apartamentos e uma chácara. Se conseguirem provar que são meus, serão seus. Pode avisar ao Moro (juiz Sérgio Moro)”, disse Lula sob os aplausos dos sem-teto que acompanhavam seu discurso.

Em apoio à ocupação do MTST, que reúne mais de sete mil famílias, Lula disse que o terreno de cerca de 70 mil m2 em que estão instaladas não estava destinado a cumprir qualquer função social, e o movimento agiu corretamente ao ocupar o local. (O Estadão)