Com 18, 7%, Paulo Câmara lidera pesquisa para governador de Pernambuco

Pesquisa realizada pelo Instituto Múltipla (Arcoverde) com 600 questionários, em 65 dos 184 municípios pernambucanos, entre os dias 21 e 24 deste mês de novembro, revela que o governador Paulo Câmara (PSB) lidera a corrida eleitoral de 2018 com 18,7% das intenções de voto.

Em segundo lugar aparece o senador Armando Monteiro Neto (PTB) com 13,5%, seguido pelo ministro Mendonça Filho (DEM) com 10% e a vereadora Marília Arraes (PT) com 9,6% (empate técnico).

O senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) está na quarta colocação com 2,8%, seguido pelo deputado Bruno Araújo (PSDB) com 1,8%. Brancos e nulos somam 30%, indecisos 8,3% e não souberam ou não quiseram responder a pesquisa, 6%.

O instituto fez uma simulação com diversos cenários e na maioria deles o governador Paulo Câmara tem cerca de 30% de intenções de voto. Num cenário sem Armando e sem Mendonça Filho, a vereadora Marília Arraes atinge seu melhor percentual: 19,3%.

Num confronto direto com Paulo Câmara, a neta de Miguel Arraes teria 25% de intenções de voto, ante 32% do governador.

O Múlplica aferiu também o índice de rejeição dos candidatos. O mais rejeitado é o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) com 27%, seguido por Bruno Araújo com 26%, Armando Monteiro com 24%, Paulo Câmara com 20%, Mendonça Filho com 20% e Marília Arraes com 18%.

O instituto perguntou também aos entrevistados se o apoio do ex-presidente Lula aumentaria ou diminuiria o desejo de votar neste candidato: 41% responderam que aumentaria, 34,5% que diminuiria e 22% que dependeria do nome do candidato.

Com relação ao presidente Michel Temer, o apoio dele a um candidato faria com que 88% dos pernambucanos o rejeitasse, ante 4,7% que o abraçaria.

Na pesquisa estimulada para o Senado (com o auxílio de cartão), o 1º colocado é Jarbas Vasconcelos (PMDB) com 20,5%, seguido por Ana Arraes (TCU) com 13%, João Paulo (PT) e Armando Monteiro (PTB) com 11,5%, Mendonça Filho com 10,5%, Humberto Costa (PT) com 9%, José Queiroz (PDT) com 6%, André Ferreira (PR) com 4,8%, Sílvio Costa (Avante) com 4,5%, Bruno Araújo com 4% e Antonio Campos (Podemos) com 3,8%.

Para presidente da República, Lula tem 50% das intenções de voto, ante 8% de Bolsonaro (PSC), 2,6% de Marina Silva (Rede), 2,8% de Luciano Huck (sem partido), 1,8% de Geraldo Alckmin (PSDB) e João Dória (PSDB) e 1,6% de Ciro Gomes (PDT). (Por Inaldo Sampaio)

Hasteamento das bandeiras, desfile cívico e protesto marcam Dia da Independência em Ouricuri

Na manhã dessa quinta-feira (07), como de costume, a prefeitura municipal de Ouricuri realizou o hasteamento das bandeiras: Brasil, Pernambuco e do município. O ato aconteceu as 7h30 em frente ao prédio da Prefeitura Municipal.

No inicio da noite aconteceu o desfile cívico das escolas, bandas marciais e também a fala dos políticos do grupo do prefeito Ricardo Ramos (PSDB).

O Sindicato dos Servidores Públicos de Ouricuri (Sindsep) realizou um ato de manifestação contra o não pagamento do retroativo aos servidores públicos do município. Trata-se de retroativo dos quatro primeiro meses do ano.

O prefeito Ricardo Ramos comentou sobre a manifestação do Sindsep e declarou que, a prefeitura não tem como pagar sem dinheiro, alegando que a crise não foi inventada por ele e que não vai ceder a chantagem.

Piso dos professores tem reajuste de 7,64% e vai para R$ 2.298

professorO piso nacional para profissionais do magistério em 2017 será reajustado em 7,64%, para R$ 2.298,80. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (12) pelo MEC (Ministério da Educação). O valor atual é de 2.135,64. O piso salarial para os profissionais do magistério público da educação básica é o valor mínimo que os professores em início de carreira devem receber.

A regra vale para todo o País, tanto para profissionais que atuam na educação infantil quanto aqueles que dão aulas no ensino fundamental ou no médio. Esses profissionais devem ter formação em magistério em nível médio, carga horária de trabalho de 40 horas semanais.

O valor do piso salarial nacional é calculado com base no que é destinado por matrícula no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) dos dois últimos anos.

Por lei, o governo federal deve cooperar tecnicamente com os Estados e municípios que não conseguirem assegurar o pagamento do piso.

Tremor assusta e causa evacuação de prédios em Teresina e São Luiz, nesta terça-feira

tremorUm tremor de média magnitude, com epicentro no município de Belágua (a 279 km de São Luís), causou susto e evacuação de prédios em Teresina e São Luís na manhã desta terça-feira (3). O abalo foi registrado às 9h43 (10h43 de Brasília). Não há relatos de feridos ou desabamentos.

O tremor foi sentido em pelo menos mais quatro Estados, mas com relatos de menor intensidade: Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas.

Segundo o Centro de Sismologia da USP (Universidade de São Paulo), o tremor atingiu 4,6 de magnitude na escala Richter.

Moradores de várias cidades relataram pelas redes sociais terem ouvido um baralho de estrondo seguido pelo chão tremer. O abalo durou cerca de 10 segundos, mas foi o suficiente para causar um grande susto.

Em Teresina, diversos prédios comerciais e públicos foram desocupados por medo. Há relatos de desocupações em bancos e lojas do centro da cidade. O prédio da Secretaria Estadual de Saúde foi evacuado às pressas.

No Piauí, o Corpo de Bombeiros está fazendo vistorias em prédios mais antigos para saber se há risco de desabamento. Órgãos públicos decretaram ponto facultativo.

“Em decorrência do tremor de terra sentido na manhã desta terça (3) no Piauí, o governador Wellington Dias acionou o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e fez contato com a Secretaria Nacional de Defesa Civil. A intenção é garantir a segurança da população”, disse o órgão em nota.

O mesmo ocorreu em São Luís, onde prédios como o Tribunal de Contas do Estado e Secretaria da Fazenda também tiveram saída às pressas. (Do Portal UOL)

casaconstrucao

Mendonça Filho concede reajuste de 10,77% a professores e técnicos de universidades e institutos federais

mendonca-filho

O ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou na última quarta-feira (9) que o pagamento do reajuste de 10,77 % aos professores e servidores da área técnica de universidades e institutos federais, além dos demais servidores federais da área de Educação, está garantido. Para isso, foi concedido um acréscimo de R$ 5 bilhões em créditos suplementares ao MEC.

Aprovado em julho deste ano no Congresso Nacional, a primeira parcela do reajuste salarial foi paga para técnicos-administrativos e professores, com a aplicação do percentual de 5,5, em agosto deste ano. O restante – 5% – será pago a partir de janeiro de 2017. A garantia do reajuste será possível devido a publicação da Portaria nº 315, do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, no Diário Oficial da União do último dia 27 de outubro, que concedeu os créditos suplementares.

Ouricuri não está entre os 46 municípios que vão receber 7,1 milhões do Ministério da Educação

arton6525Quarenta e seis dos 185 municípios pernambucanos vão receber, juntos, uma verba de R$ 7,1 milhões do Ministério da Educação (MEC). O anúncio foi feito na manhã dessa segunda-feira pelo ministro Mendonça Filho durante o evento FNDE Soluções Locais, realizado na sede da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), no Recife.

“Vamos honrar os compromissos assumidos pelo MEC e só depois daremos início a novas obras”, afirmou Mendonça Filho, ressaltando que utilizou critérios técnicos na escolha dos municípios beneficiados, priorizando obras em andamento e, principalmente, aquelas que estão próximas do seu término, para ter sua conclusão garantida.

Ao todo, foram liberados durante o evento, R$ 171,2 milhões para execução de 1.725 obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC/Educação), nos 27 estados do País. Do valor total, R$ 142,18 milhões são para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC/Educação).

Os outros R$ 28,92 milhões são para custeio de 87 obras vinculadas ao Plano de Ações Articuladas (PAR).

Os recursos são para obras em geral, como construção de escolas, de salas de aulas, creches e quadras.

Desde maio, a pasta liberou recursos para o ensino básico na ordem de R$ 1,4 bilhão. Os programas que receberam mais verba foram o Programa Nacional de Alimentação Escolar (R$ 663 milhões) e o Programa Dinheiro Direto na Escola (R$ 357 milhões).

Ao todo, a atual gestão já liberou mais de cinco bilhões em recursos financeiros, incluindo repasses para o PAC, destinados à execução de programas e ações da educação básica, superior e tecnológica, além de avaliações, convênios e despesas administrativas.

O encontro contou com a participação de prefeitos, secretários e técnicos em educação, além do secretário de Educação de Pernambuco, Frederico Amâncio; o secretário da Conferência Nacional dos Municípios, Eduardo Tabosa; Elza Silva, presidente da Undime/PE e o diretor de Gestão, Articulação e Projetos Educacionais do FNDE, Leandro Damy.

Confira a lista de cidades beneficiadas:

Afogados da Ingazeira, Afrânio, Água Preta, Alagoinha, Araripina, Arcoverde, Bezerros, Bom Conselho, Brejinho, Brejo da Madre de Deus, Caetés, Carnaubeira da Penha, Caruaru, Casinhas, Dormentes, Itapetim, Itaquitinga, Jaboatão dos Guararapes, Jatobá, Jucati, Jupi, Lajedo, Manari, Orobó, Panelas, Pesqueira, Petrolina, Poção, Quixaba, Recife, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Filomena, Santa Maria da Boa Vista, São Caetano, São José do Egito, Serra Talhada, Serrita, Solidão, Terezinha, Trindade, Triunfo, Verdejante, Vertente do Lírio, Vicência, Vitória de Santo Antão. (Do Diario de Pernambuco)

Ministério da Educação anuncia R$ 7,1 milhões para 46 municípios pernambucanos

mendonca-filhoQuarenta e seis dos 185 municípios pernambucanos vão receber, juntos, uma verba de R$ 7,1 milhões do Ministério da Educação (MEC). O anúncio foi feito na manhã dessa segunda-feira (01) pelo ministro Mendonça Filho durante o evento FNDE Soluções Locais, realizado na sede da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), no Recife.

“Vamos honrar os compromissos assumidos pelo MEC e só depois daremos início a novas obras”, afirmou Mendonça Filho, ressaltando que utilizou critérios técnicos na escolha dos municípios beneficiados, priorizando obras em andamento e, principalmente, aquelas que estão próximas do seu término, para ter sua conclusão garantida.

Ao todo, foram liberados durante o evento, R$ 171,2 milhões para execução de 1.725 obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC/Educação), nos 27 estados do País. Do valor total, R$ 142,18 milhões são para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC/Educação). Os outros R$ 28,92 milhões são para custeio de 87 obras vinculadas ao Plano de Ações Articuladas (PAR). Os recursos são para obras em geral, como construção de escolas, de salas de aulas, creches e quadras.

Desde maio, a pasta liberou recursos para o ensino básico na ordem de R$ 1,4 bilhão. Os programas que receberam mais verba foram o Programa Nacional de Alimentação Escolar (R$ 663 milhões) e o Programa Dinheiro Direto na Escola (R$ 357 milhões). Ao todo, a atual gestão já liberou mais de cinco bilhões em recursos financeiros, incluindo repasses para o PAC, destinados à execução de programas e ações da educação básica, superior e tecnológica, além de avaliações, convênios e despesas administrativas.

O encontro contou com a participação de prefeitos, secretários e técnicos em educação, além do secretário de Educação de Pernambuco, Frederico Amâncio; o secretário da Conferência Nacional dos Municípios, Eduardo Tabosa; Elza Silva, presidente da Undime/PE e o diretor de Gestão, Articulação e Projetos Educacionais do FNDE, Leandro Damy. (Do Diario de Pernambuco) 

Conta de luz ficará 7% mais barata a partir de março, diz ministro

ENERGIA ELETRICA CONTA

Um grupo de sete usinas termelétricas com capacidade de geração de cerca de 2 mil megawatts (MW), cujo custo de produção é superior a R$ 420 por megawatt-hora (MWh), serão desligadas, anunciou nesta quarta-feira (3) o Ministério de Minas e Energia (MME).

A medida vai representar uma conta de luz mais barata para os brasileiros. “Haverá redução do custo de energia para o consumidor no ano de 2016”, afirmou o ministro Eduardo Braga. Ele estimou redução de até 7% no valor final das contas de energia elétrica residenciais a partir de março.