Professores ocupam prefeitura de Ouricuri na luta pelos 3,81%

O SINDSEP juntamente com os professores da rede municipal de ensino de Ouricuri, em cumprimento ao Calendário de Manifestações aprovado pela assembleia geral extraordinária do dia 8 de junho, saiu às ruas na manhã desta quarta-feira(13).

Os professores se encontraram na Sede do SINDSEP por volta das 9 horas da manhã, em seguida saíram em caminhada até a Sede da Prefeitura de Ouricuri, onde permaneceram por duas hora.

O SINDSEP levou um carro de som, onde os manifestantes puderam usar o microfone e falar sobre questões relacionadas à educação. Foram discursos duros contra a gestão municipal. Os docentes fizeram relatos da precariedade das escolas, das más condições de trabalho que enfrentam no dia a dia e da falta de apoio logístico e pedagógico.

Ao final do protesto, os professores decidiram ocupar a Sede da Prefeitura. Encontraram o Gabinete do Prefeito Ricardo Ramos fechado e com a luzes apagadas.

O objetivo do SINDSEP era ser recebido pela gestão municipal, onde faria a reivindicação do reajuste salarial de 3,81% que faz parte do cumprimento da lei do piso salarial do magistério.

Para este ano o MEC determinou o percentual de 6,81%, o governo já concedeu 3% em março, com efeito retroativo a janeiro e se comprometeu com os professores de em maio voltar a negociar o restante de 3,81%.

O Procurador Municipal Dr. Wilker havia levado à Câmara Municipal no dia 12/6, à noite, um projeto de lei concedendo os 3,81%  fatiado em três parcelas: 1% em junho, 1% em outubro e 1.81% em dezembro, SEM RETROATIVO.

O envio do projeto sem discussão com a categoria revoltou os professores. Diante das manifestações contrárias dos professores presentes, a Presidenta da Câmara Municipal Vereadora Adelúcia Clea suspendeu a sessão por 30 minutos e convidou os Diretores do SINDSEP e os representantes da Prefeitura, juntamente com os demais vereadores para uma reunião interna, onde foi apresentado pelo governo o projeto e as justificativas.

A Diretoria do SINDSEP contra argumentou, dizendo ser um projeto vazio, que prejudica os professores e que não teria a menor chance de ser aprovado em assembleia.

O governo recuou e não protocolou o projeto, ficou acordado de rediscutir os termos. O SINDSEP pediu que o projeto não seja colocado em pauta até que finde as negociações e seja aprovado em assembleia pela categoria.

A sessão da Câmara foi reiniciada, foi facultada a palavra a Presidenta do SINDSEP Didi Ribeiro, que discursou na tribuna, fez uma explanação das negociações e um breve relato das condições enfrentadas pelos professores nas escolas municipais. Reafirmou a luta pelos 3,81% e convidou todos para participarem das manifestações em defesa da educação, sendo bastante aplaudida. (SINDSEP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *