Equipe Médica do Hospital Regional Fernando Bezerra em Ouricuri restringe atendimento devido falta de pagamento

 

Com uma situação que persiste há meses, médicos que atendem no Hospital Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri, divulgaram um comunicado na manhã desta terça-feira (16), informando que os atendimentos da unidade ficarão restritos as classificações Laranja e Vermelha, urgência e emergência, respectivamente.

Essa decisão, já repassada a direção do hospital, tem como motivo o não pagamento dos médicos plantonistas, com salários atrasados desde outubro de 2018.

Além dos médicos, funcionários de outras categorias estão passando pelo mesmo problema. A Santa Casa de Misericórdia, administradora da unidade, ainda não se pronunciou sobre a decisão da equipe médica.

Funcionários da Santa Casa paralisam atividades no HRFB em Ouricuri por falta de pagamento

A falta de pagamento dos profissionais do hospital regional Fernando Bezerra em Ouricuri levou seus funcionários a cruzarem os braços na tarde dessa quinta-feira (13), o movimento simbólico de paralisar diversos setores da unidade hospitalar foi realizado entre as 14h e às 15h em frente ao próprio hospital.

A insatisfação está em cada funcionário de diversos setores, médicos, enfermeiros,  maqueiros, técnicos, limpeza, vigilância entre outros profissionais de apoio que alegam não estarem recebendo seus salários desde Outubro, muitos afirmam que estão sem dinheiro para pagar até as passagens para ir ao trabalho, a estimativa é que pelo menos 600 funcionários estejam com os salários atrasados no regional Ouricuri.

O Diretor do sindicato dos médicos (SIMEPE), Dr Alexandre Lage, afirma que a situação está ficando cada dia mais insustentável “temos aqui profissionais que dependem desse dinheiro para sobreviver que so tem essa renda e não estão recebendo a dois meses e a alegação da santa casa que administra o hospital é que não está recebendo o repasse do governo do estado para fazer o nosso pagamento” disse o médico que alega ainda falta de infraestrutura para os trabalhos hospitalares.

O protesto aconteceu de forma pacifica e não comprometeu o atendimento na tarde dessa quinta feira no regional, procuramos os representantes da Santa Casa que administra o hospital regional, más segundo a direção não estão autorizados a conceder entrevistas a imprensa, e que a nossa reportagem entrasse em contato com a central em Recife para maiores informações, más informaram que desde quarta feira (12) , já está acontecendo uma negociação para realizar os pagamentos. (Por Francisco Monteiro)

Dezembro Laranja quer conscientizar para prevenção ao câncer de pele

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) lançou no início do mês a campanha Dezembro Laranja. O objetivo é estimular a população para a prevenção e o diagnóstico do câncer de pele, o mais comum no Brasil. Em 2018, o tema da campanha é “Se exponha, mas não se queime”. As ações da campanha incluem iluminação de monumentos, iniciativas de conscientização em praias e parques com distribuição de filtro solar, entre outras.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 30% de todos os tumores malignos do Brasil correspondem ao câncer de pele. Para o biênio 2018 a 2019, a estimativa é de 165.580 mil novos casos de câncer de pele não melanoma – uma redução de 10 mil casos em relação ao biênio anterior. A expectativa é que a doença acometa mais homens (85.170 mil) do que mulheres (80.410 mil).

Segundo a SBD, de dezembro deste ano a março de 2019, durante todo o verão, serão promovidas ações e atividades de informação na internet, ruas, praias e parques. As recomendações básicas incluem a adoção de medidas fotoprotetoras, como evitar os horários de maior incidência solar (das 10h às 16h); utilizar chapéus de abas largas, óculos de sol com proteção UV e roupas que cubram boa parte do corpo; procurar locais de sombra e manter hidratação corporal. É necessário ainda usar protetor solar com fator 30 (no mínimo) diariamente, reaplicando a cada duas a três horas ou depois de longos períodos na água.

De acordo com o médico dermatologista da SBD, Curt Treu, existem diferentes tipos da doença que podem se manifestar de formas distintas, sendo os mais comuns denominados carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular (chamados de câncer não melanoma) e o terceiro tipo, o melanoma, que não é o mais incidente, mas é o mais agressivo e letal.

“Se diagnosticado precocemente pode ter uma chance de cura superior a 90%. Mas normalmente o tratamento é cirúrgico, removendo a lesão com uma margem de segurança adequada. Para alguns tipos iniciais e superficiais há outros tratamentos não cirúrgicos, como uma curetagem, uma crioterapia (com nitrogênio líquido), ou fotodinâmica, no qual é usado um medicamento absorvido pelo tumor e em seguida é colocada uma luz específica que queima o tumor”, disse.

Em todos os tipos de câncer de pele a principal causa é a exposição excessiva ao sol. O câncer de pele pode aparecer como uma mancha ou pinta de cor castanha a escura, como um nódulo avermelhado, cor da pele e brilhoso, ou como uma ferida nova que não cicatriza, ou que machuca até mesmo com a passada de uma toalha.

Segundo Treu, existe uma regra, chamada pelos dermatologistas de ABCDE, que ajuda a avaliar se a lesão sinaliza um possível câncer de pele. Quando há assimetria e metade da pinta não combina com a outra metade, com formato e cor diferentes; bordas irregulares, dentadas, com sulcos ou interrupções abruptas na cor; cor diferente em toda pinta, quando muito escuras podem indicar malignidade; diâmetro, quando a lesão cresce rápido e ultrapassa os seis milímetros; e a evolução da pinta em curto período de tempo, normalmente de um a três meses.

“Os fatores genéticos também podem causar o câncer de pele, mas o principal fator é a exposição aos raios ultravioleta. As pessoas muito claras, loiras ou ruivas de olhos claros, são as mais propensas a ter a doença. Também aquelas que tiveram intensa exposição acumulada ao sol, com atividades de trabalho ou recreacionais no sol.”

A SBD alerta ainda para a necessidade de proteção mesmo em dias nublados, além de consultas regulares ao dermatologista. É importante ainda examinar os familiares, porque as lesões podem aparecer em locais impossíveis de ver sozinho.

(Do Blog Elismar Rodrigues)

Mais Médicos tem 123 vagas disponíveis a um dia do fim do prazo

Foto: reprodução

Atualização foi feita na manhã desta quinta-feira (6). Os profissionais podem se inscrever até sexta (7). Cerca de 44% dos médicos inscritos já se apresentaram nos municípios onde devem trabalhar.

De acordo com levantamento divulgado nesta quinta (6) pelo Ministério da Saúde, ainda restam 123 vagas disponíveis no programa Mais Médicos. Segundo a pasta, 3.721 médicos já se apresentaram aos municípios onde deverão trabalhar. O edital oferta, ao todo, 8.517 vagas em 2.824 municípios e 34 distritos indígenas.

Na última terça-feira (4), 200 profissionais desistiram de trabalhar no Mais Médicos e as vagas foram reabertas.

O prazo de inscrição vai até sexta (7), às 23h59, e os médicos têm até o dia 14 para se apresentarem nos municípios.

Em números

  • Quantas vagas estão disponíveis no edital? 517.
  • Quantas foram preeenchidas no sistema? 394(98,5%).
  • Quantos profissionais já se apresentaram nos municípios? 721. (44,3% das vagas preenchidas).

Fonte: G1

UBS de Barra de São Pedro em Ouricuri é contemplada com veículo 0km e ordem de serviço para reforma

A Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito Barra de São Pedro em Ouricuri, no Sertão do Araripe pernambucano, foi beneficiado com um veículo Fiat MOBI 0km e com a ordem de serviço da reforma no prédio da UBS. A ação faz parte do projeto “Obra da Semana”, no qual semanalmente o prefeito Ricardo Ramos (PSDB) inaugura uma ação no município.

A presidente da Câmara Municipal de Ouricuri, vereadora Adelucia Clea, que reside no distrito, sempre lutou pelas ações e declarou ter ficado muito feliz com o comprometimento do prefeito Ricardo, “Sabemos que essas conquistas só são possíveis por que Ouricuri têm um prefeito sensível às causas do povo. Agradeço ao prefeito Ricardo por está tendo este olhar especial também com Barra de São Pedro, a comunidade agradece”, disse Adelucia.

MPPE cobra interdição de academias com situação irregular em Ouricuri

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) solicitou que a Prefeitura de Ouricuri realize a interdição de todas as academias de ginásticas que se encontram em situação irregular. A recomendação é fruto do relatório do Conselho Regional de Educação Física da 12ª Região de Pernambuco, que relatou diversas irregularidades nas academias do município.

De acordo com o promotor de Justiça Manoel Dias Neto, os estabelecimentos apontados pelo Conselho Regional foram notificados a apresentar documentação necessária, mas permaneceram inertes. Essa prática fere a Lei nº 9.695/98, que no seu artigo 10, inciso III, esclarece que manter estabelecimentos de ginástica sem licença do órgão sanitário competente ou contrariando o disposto nas demais normas legais e regulamentares pertinentes é proibido.

Além disso, a Lei Federal nº 8.080/1990 dispõe sobre o dever do Estado de garantir a saúde consistindo na formulação e execução de políticas públicas que visem ações capazes de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários.

Manter os estabelecimentos irregulares e sem a documentação em dia pode acarretar em advertência, intervenção, interdição, cancelamento da licença e/ou multa.

Governo lança nesta terça-feira edital do Programa Mais Médicos com 8.517 vagas

Um novo edital do programa Mais Médicos será lançado nesta terça-feira, com um total de 8.517 vagas de atuação em mais de 2 mil e oitocentos municípios.

As inscrições poderão ser feitas a partir das 08 horas da manhã da próxima quarta-feira, dia 21, até às 11 horas e cinquenta e nove minutos do dia 25 de novembro.

No momento da inscrição, o médico escolherá o local que deseja trabalhar. As vagas selecionadas ficarão bloqueadas e deixarão de aparecer no sistema. Elas só devem voltar a aparecer, caso o profissional que fez a seleção não compareça ao município escolhido, entre os dias 03 e 07 de dezembro, para homologar a participação no programa.

Um segundo edital será lançado no dia 27 de novembro. Nessa seleção, poderão concorrer às vagas médicos brasileiros formados no exterior e estrangeiros que não tenham o CRM brasileiro. Mas, para exercer a profissão, terão que passar pelo exame Revalida.

Os médicos cubanos que desejarem permanecer no Brasil também poderão participar da seleção.

Os cubanos que não tiverem o CRM brasileiro também serão submetidos ao Revalida.

Diferentemente do primeiro, esse segundo edital ficará aberto até que as demandas de médicos do país sejam atendidas. As inscrições poderão ser realizadas no site maismedicos.gov.br. (Da Agência Brasil)

No RS, prefeitura convida médico cubano para ser secretário de saúde

Foto: reprodução

A notícia de que Cuba decidiu sair do programa Mais Médicos, depois de cinco anos de parceria com o governo brasileiro, na quarta-feira (14), repercutiu na cidade gaúcha de Chapada (a 336 km de Porto Alegre). Com uma população de 9.597 habitantes, a preocupação era perder o único médico cubano da cidade.

O prefeito Carlos Alzenir Catto (PDT) resolveu pensar rápido. Por sugestão da atual secretária municipal de Saúde, ainda na quarta, chamou o médico Richel Collazo Cruz, 36, para conversar em seu gabinete e propor que ele assumisse a pasta. 

“Gostaríamos que ele continuasse no município, porque ele foi muito bem aceito pela comunidade. É um bom médico, nunca nos deixou na mão. Se entrar na nossa página no Facebook, vai ver os elogios. Claro que gostaríamos que ele continuasse médico aqui, mas se não dá…”, diz o prefeito, que ainda não recebeu a resposta de Collazo ao convite. 

Quinze dias antes da decisão do governo de Cuba, uma equipe da prefeitura foi a Brasília pedir mais profissionais dentro do programa Mais Médicos. 

No começo de outubro, Chapada abriu um edital para contratar três médicos especializados em saúde da família, num regime de 40 horas semanais, pelo salário de R$ 11 mil, durante um ano. O mesmo valor que recebe o prefeito. Catto chegou a prorrogar o prazo de inscrições, mas não apareceram interessados.

“Essa história de que há profissionais sobrando é de quem está nos grandes centros, na capital. Tem que sair da casinha e ver o que acontece nos municípios menores. Quem perde com essa saída de 8.000 médicos é o povo de baixa renda, nós estamos tentando segurar o nosso”, afirma ele.

Catto está no quarto mandato como prefeito da cidade, que tem renda per capita de R$ 37.423,52. Nas últimas eleições, os eleitores deram 63,7% dos votos válidos para o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). 

Sobre a qualidade de atendimento dos cubanos, o prefeito faz questão de contar que ele e toda a família já se consultaram no posto municipal com Collazo. Além do cubano, há outros dois médicos atendendo em tempo integral na rede pública local. 

“Sempre fomos muito bem atendidos, não tem trabalho escravo aqui. Ele sempre foi pontual, faz a carga horária, está inserido na comunidade. Eu torço para que ele fique como médico, se não for assim, como secretário”, diz. 

Collazo chegou à cidade em março de 2014. Uma comitiva de Chapada foi recebê-lo ainda em Porto Alegre. Na primeira semana, já apresentaram o cubano a uma partida de futebol local e a uma festa no interior da cidade, para que ele fosse conhecendo a comunidade. Dois anos depois, o médico estava casado com uma moradora de lá. 

Depois da repercussão da notícia e de outras entrevistas, Collazo preferiu não falar mais com a imprensa. À Rádio Gaúcha, ele disse: “Ninguém vem de Cuba para cá enganado. Todo mundo sabe o que vai ganhar e a parte com a qual o governo vai ficar. Quando você chega aqui, vem com a mente de que é isso. Quando a gente vê essa diferença, de R$ 300 para R$ 3.000, é uma grande diferença. Esses R$ 3.000 correspondem a um grande salário lá em Cuba”. 

Durante o fim de semana, o prefeito encaminhou um pedido à Câmara de Vereadores para alterar a lei orgânica do município, que prevê que apenas brasileiros podem ocupar o cargo em secretarias. Assim, se Collazo aceitar o convite, não terá empecilhos para assumir. (Folha PE Notícias)

“É desumano dar aos mais pobres atendimento sem garantia”, diz Bolsonaro

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou, hoje, que é “injusto” e “desumano” destinar aos mais pobres o atendimento médico por parte de profissionais cubanos “sem qualquer garantia” de qualidade.

A declaração foi dada após café da manhã entre Bolsonaro e o comandante da Marinha, o almirante de esquadra Eduardo Bacelar Leal Ferreira, no Comando do Primeiro Distrito Naval, no Centro do Rio.

Para o presidente eleito, o governo brasileiro não tem comprovação de que os profissionais de saúde enviados por Cuba sejam competentes e, por isso, voltou a defender que eles deveriam passar por uma prova para revalidar o diploma e atuar no Brasil.

Na última quarta, o governo de Cuba informou que decidiu sair do Mais Médicos e atribuiu a decisão a “declarações ameaçadoras e depreciativas” de Bolsonaro. O presidente eleito afirma que Cuba não quis aceitar condições para continuar no programa.

“Eu nunca vi uma autoridade no Brasil dizer que foi assistida por um médico cubano. Será que nós devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia? Isso é injusto. Isso é desumano“, disse Bolsonaro.

Não queremos isso para ninguém, muito menos para os mais pobres. Queremos salário integral e o direito de fazer a família para cá. Isso é pedir muito? Isso está em nossas leis”, complementou.

Segundo o presidente eleito, a forma como a contratação dos médicos cubanos foi feita é “situação de prática de escravidão” porque, de acordo com Bolsonaro, o governo cubano impede que a família dos médicos os acompanhe durante o período em que eles estão no Brasil.

Vamos falar em direitos humanos? Quem diria, não é? Tanta crítica eu sofri aqui… talvez a senhora [dirigindo-se a uma jornalista] seja mãe. Imaginou ficar longe dos seus filhos por um ano? É a situação de prática de escravidão que estão sendo submetidos os médicos e as médicas cubanos no Brasil. Imaginou confiscar da senhora 70% do seu salário?”, criticou o presidente eleito.

Médicos cubanos começam a deixar o Brasil no dia 25

Foto: reprodução

Os profissionais cubanos integrantes do programa Mais Médicos começarão a deixar o Brasil daqui a dez dias, segundo informou nesta quinta-feira (15) a Embaixada de Cuba a um representante do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). Na quarta-feira (14), o governo de Cuba anunciou a saída do programa brasileiro por causa de declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que exigia mudanças nas regras do acordo. Com o fim da parceria, 8,3 mil cubanos terão de deixar o Brasil.

As datas das primeiras partidas dos profissionais foi informada ao presidente do Conasems, Mauro Junqueira, em reunião realizada nesta quinta entre ele, membros da Embaixada de Cuba e representantes da Organização Panamericana de Saúde (Opas), intermediária do acordo. De acordo com o diretor de Comunicação Social do Conasems, Diego Espindola de Ávila, o governo cubano disse ainda que a ideia é que todos os médicos deixem o Brasil até o fim do ano.

“Eles não informaram quantos viajarão no primeiro grupo nem de quais cidades serão. Até porque ainda estão tentando organizar a viagem porque serão necessários muitos voos”, declarou ele, que também é secretário de saúde de Piratini, no Rio Grande do Sul, cidade de 20 mil habitantes onde quatro dos sete médicos dos postos de saúde são cubanos.

“Vai ser um caos para a gente. Metade da população da minha cidade mora na zona rural, que só é atendida pelo programa Saúde da Família e hoje só tem cubanos. Os três médicos brasileiros que eu tenho têm jornada de 20 horas semanais e não podem atender pelo PSF (que exige dedicação de 40 horas semanais). O impacto será muito grande”, diz ele.

Edital emergencial

O Ministério da Saúde armou na quarta que lançará um edital emergencial nos próximos dias para tentar repor os médicos cubanos. (Via JC Online)