Agentes Comunitários de Endemias intensificam trabalhos contra o mosquito da dengue em Santa Filomena

Os Agentes Comunitários de Endemias (ACEs) estão intensificando seus trabalhos no município de Santa Filomena, Sertão do Araripe pernambucano, para combater o mosquito da dengue (Aedes Aegypti) na cidade.

Os agentes vêm fazendo o trabalho da distribuição de panfletos, fazendo o tratamento das casas nas residências da população e procurando focos do mosquito em lugares abandonados, que acumulam muita água.

Ouricuri: Para evitar demissão coletiva de médicos, Simepe intermedia negociações com Governo de PE

Em Ouricuri (PE), no Sertão do Araripe, o diretor regional do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), Alexandre Lage, disse que a entidade está acompanhando o movimento dos profissionais do Hospital Regional Fernando Bezerra (HRFB), e tem buscado intermediar as negociações com o governo do Estado e a Santa Casa para que seja normalizado o pagamento dos salários atrasados referentes aos meses de dezembro e janeiro. O atraso no repasse de verbas ao HRFB tem provocado a insatisfação dos profissionais, em especial de um grupo de 30 médicos contratados como pessoa jurídica, os mais prejudicados pela falta de pagamento de remuneração.

Segundo Lage, existe o compromisso por parte da direção da unidade de saúde de que hoje será pago o mês de dezembro. “Os médicos que trabalham pelo Estado e os celetistas não vão parar. Este movimento atinge 30% dos médicos do hospital“.

Caso os médicos contratados como pessoa jurídica cumpram com a decisão de pedirem demissão coletiva serão suspensas as cirurgias eletivas realizadas no HRFB. O diretor regional do Simepe em Ouricuri disse que os atendimentos na emergência e na maternidade não serão afetados. A unidade é a referência no atendimento traumatológico e em cirurgia geral da região do Araripe.

O hospital é administrado pela Santa Casa de Misericórdia, a qual alega atraso nos repasses de verba do governo do Estado como motivo da falta de pagamento dos salários dos médicos. A crise vem se arrastando há alguns meses, provocando a insatisfação dos profissionais que trabalham no hospital. (Por Calos Britto)

Médicos ameaçam demissão coletiva por falta de pagamento no Hospital Regional em Ouricuri

O atendimento que não é satisfatório poderá piorar ainda mais, médicos que atendem no Hospital Regional Fernando Bezerra (HRFB) em Ouricuri, Sertão do Araripe, através de CNPJ, poderão realizar demissão coletiva devido o atraso de seus vencimentos. Os profissionais estão sem receber seus salários desde dezembro de 2018.

Em várias faixas fixadas em locais estratégicos da cidade de Ouricuri, os médicos informam o descaso do hospital, atualmente administrado pela Santa Casa de Misericórdia, e do Governo do Estado com a categoria em relação aos seus salários.

Vereadora Adelucia solicita da prefeitura de Ouricuri que Policlínica funcione 24 horas

Depois que médicos do Hospital Regional Fernando Bezerra, localizado na cidade de Ouricuri, decidiram por atender somente pacientes em situações de Urgência ou Emergência, a vereadora, também presidente da Câmara de Ouricuri, Adelucia Cléa, solicitou através de indicação ao prefeito do município, Ricardo Ramos, que a Policlínica Municipal Helena Alencar Barreto tenha atendimento médico 24h.

“Tenho acompanhado com muita preocupação esta questão do atendimento a saúde, pois sabemos da grande demanda do Hospital regional Fernando Bezerra e depois que os profissionais decidiram por atender somente os casos de urgências e emergências, a população precisa urgentemente de um atendimento ambulatorial”, declarou Adelucia.

A indicação foi aprovada por unanimidade na Casa Legislativa na sessão ordinária da última terça-feira (22).

Equipe Médica do Hospital Regional Fernando Bezerra em Ouricuri restringe atendimento devido falta de pagamento

 

Com uma situação que persiste há meses, médicos que atendem no Hospital Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri, divulgaram um comunicado na manhã desta terça-feira (16), informando que os atendimentos da unidade ficarão restritos as classificações Laranja e Vermelha, urgência e emergência, respectivamente.

Essa decisão, já repassada a direção do hospital, tem como motivo o não pagamento dos médicos plantonistas, com salários atrasados desde outubro de 2018.

Além dos médicos, funcionários de outras categorias estão passando pelo mesmo problema. A Santa Casa de Misericórdia, administradora da unidade, ainda não se pronunciou sobre a decisão da equipe médica.

Funcionários da Santa Casa paralisam atividades no HRFB em Ouricuri por falta de pagamento

A falta de pagamento dos profissionais do hospital regional Fernando Bezerra em Ouricuri levou seus funcionários a cruzarem os braços na tarde dessa quinta-feira (13), o movimento simbólico de paralisar diversos setores da unidade hospitalar foi realizado entre as 14h e às 15h em frente ao próprio hospital.

A insatisfação está em cada funcionário de diversos setores, médicos, enfermeiros,  maqueiros, técnicos, limpeza, vigilância entre outros profissionais de apoio que alegam não estarem recebendo seus salários desde Outubro, muitos afirmam que estão sem dinheiro para pagar até as passagens para ir ao trabalho, a estimativa é que pelo menos 600 funcionários estejam com os salários atrasados no regional Ouricuri.

O Diretor do sindicato dos médicos (SIMEPE), Dr Alexandre Lage, afirma que a situação está ficando cada dia mais insustentável “temos aqui profissionais que dependem desse dinheiro para sobreviver que so tem essa renda e não estão recebendo a dois meses e a alegação da santa casa que administra o hospital é que não está recebendo o repasse do governo do estado para fazer o nosso pagamento” disse o médico que alega ainda falta de infraestrutura para os trabalhos hospitalares.

O protesto aconteceu de forma pacifica e não comprometeu o atendimento na tarde dessa quinta feira no regional, procuramos os representantes da Santa Casa que administra o hospital regional, más segundo a direção não estão autorizados a conceder entrevistas a imprensa, e que a nossa reportagem entrasse em contato com a central em Recife para maiores informações, más informaram que desde quarta feira (12) , já está acontecendo uma negociação para realizar os pagamentos. (Por Francisco Monteiro)

Dezembro Laranja quer conscientizar para prevenção ao câncer de pele

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) lançou no início do mês a campanha Dezembro Laranja. O objetivo é estimular a população para a prevenção e o diagnóstico do câncer de pele, o mais comum no Brasil. Em 2018, o tema da campanha é “Se exponha, mas não se queime”. As ações da campanha incluem iluminação de monumentos, iniciativas de conscientização em praias e parques com distribuição de filtro solar, entre outras.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 30% de todos os tumores malignos do Brasil correspondem ao câncer de pele. Para o biênio 2018 a 2019, a estimativa é de 165.580 mil novos casos de câncer de pele não melanoma – uma redução de 10 mil casos em relação ao biênio anterior. A expectativa é que a doença acometa mais homens (85.170 mil) do que mulheres (80.410 mil).

Segundo a SBD, de dezembro deste ano a março de 2019, durante todo o verão, serão promovidas ações e atividades de informação na internet, ruas, praias e parques. As recomendações básicas incluem a adoção de medidas fotoprotetoras, como evitar os horários de maior incidência solar (das 10h às 16h); utilizar chapéus de abas largas, óculos de sol com proteção UV e roupas que cubram boa parte do corpo; procurar locais de sombra e manter hidratação corporal. É necessário ainda usar protetor solar com fator 30 (no mínimo) diariamente, reaplicando a cada duas a três horas ou depois de longos períodos na água.

De acordo com o médico dermatologista da SBD, Curt Treu, existem diferentes tipos da doença que podem se manifestar de formas distintas, sendo os mais comuns denominados carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular (chamados de câncer não melanoma) e o terceiro tipo, o melanoma, que não é o mais incidente, mas é o mais agressivo e letal.

“Se diagnosticado precocemente pode ter uma chance de cura superior a 90%. Mas normalmente o tratamento é cirúrgico, removendo a lesão com uma margem de segurança adequada. Para alguns tipos iniciais e superficiais há outros tratamentos não cirúrgicos, como uma curetagem, uma crioterapia (com nitrogênio líquido), ou fotodinâmica, no qual é usado um medicamento absorvido pelo tumor e em seguida é colocada uma luz específica que queima o tumor”, disse.

Em todos os tipos de câncer de pele a principal causa é a exposição excessiva ao sol. O câncer de pele pode aparecer como uma mancha ou pinta de cor castanha a escura, como um nódulo avermelhado, cor da pele e brilhoso, ou como uma ferida nova que não cicatriza, ou que machuca até mesmo com a passada de uma toalha.

Segundo Treu, existe uma regra, chamada pelos dermatologistas de ABCDE, que ajuda a avaliar se a lesão sinaliza um possível câncer de pele. Quando há assimetria e metade da pinta não combina com a outra metade, com formato e cor diferentes; bordas irregulares, dentadas, com sulcos ou interrupções abruptas na cor; cor diferente em toda pinta, quando muito escuras podem indicar malignidade; diâmetro, quando a lesão cresce rápido e ultrapassa os seis milímetros; e a evolução da pinta em curto período de tempo, normalmente de um a três meses.

“Os fatores genéticos também podem causar o câncer de pele, mas o principal fator é a exposição aos raios ultravioleta. As pessoas muito claras, loiras ou ruivas de olhos claros, são as mais propensas a ter a doença. Também aquelas que tiveram intensa exposição acumulada ao sol, com atividades de trabalho ou recreacionais no sol.”

A SBD alerta ainda para a necessidade de proteção mesmo em dias nublados, além de consultas regulares ao dermatologista. É importante ainda examinar os familiares, porque as lesões podem aparecer em locais impossíveis de ver sozinho.

(Do Blog Elismar Rodrigues)

Mais Médicos tem 123 vagas disponíveis a um dia do fim do prazo

Foto: reprodução

Atualização foi feita na manhã desta quinta-feira (6). Os profissionais podem se inscrever até sexta (7). Cerca de 44% dos médicos inscritos já se apresentaram nos municípios onde devem trabalhar.

De acordo com levantamento divulgado nesta quinta (6) pelo Ministério da Saúde, ainda restam 123 vagas disponíveis no programa Mais Médicos. Segundo a pasta, 3.721 médicos já se apresentaram aos municípios onde deverão trabalhar. O edital oferta, ao todo, 8.517 vagas em 2.824 municípios e 34 distritos indígenas.

Na última terça-feira (4), 200 profissionais desistiram de trabalhar no Mais Médicos e as vagas foram reabertas.

O prazo de inscrição vai até sexta (7), às 23h59, e os médicos têm até o dia 14 para se apresentarem nos municípios.

Em números

  • Quantas vagas estão disponíveis no edital? 517.
  • Quantas foram preeenchidas no sistema? 394(98,5%).
  • Quantos profissionais já se apresentaram nos municípios? 721. (44,3% das vagas preenchidas).

Fonte: G1

UBS de Barra de São Pedro em Ouricuri é contemplada com veículo 0km e ordem de serviço para reforma

A Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito Barra de São Pedro em Ouricuri, no Sertão do Araripe pernambucano, foi beneficiado com um veículo Fiat MOBI 0km e com a ordem de serviço da reforma no prédio da UBS. A ação faz parte do projeto “Obra da Semana”, no qual semanalmente o prefeito Ricardo Ramos (PSDB) inaugura uma ação no município.

A presidente da Câmara Municipal de Ouricuri, vereadora Adelucia Clea, que reside no distrito, sempre lutou pelas ações e declarou ter ficado muito feliz com o comprometimento do prefeito Ricardo, “Sabemos que essas conquistas só são possíveis por que Ouricuri têm um prefeito sensível às causas do povo. Agradeço ao prefeito Ricardo por está tendo este olhar especial também com Barra de São Pedro, a comunidade agradece”, disse Adelucia.

MPPE cobra interdição de academias com situação irregular em Ouricuri

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) solicitou que a Prefeitura de Ouricuri realize a interdição de todas as academias de ginásticas que se encontram em situação irregular. A recomendação é fruto do relatório do Conselho Regional de Educação Física da 12ª Região de Pernambuco, que relatou diversas irregularidades nas academias do município.

De acordo com o promotor de Justiça Manoel Dias Neto, os estabelecimentos apontados pelo Conselho Regional foram notificados a apresentar documentação necessária, mas permaneceram inertes. Essa prática fere a Lei nº 9.695/98, que no seu artigo 10, inciso III, esclarece que manter estabelecimentos de ginástica sem licença do órgão sanitário competente ou contrariando o disposto nas demais normas legais e regulamentares pertinentes é proibido.

Além disso, a Lei Federal nº 8.080/1990 dispõe sobre o dever do Estado de garantir a saúde consistindo na formulação e execução de políticas públicas que visem ações capazes de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários.

Manter os estabelecimentos irregulares e sem a documentação em dia pode acarretar em advertência, intervenção, interdição, cancelamento da licença e/ou multa.