Polícia Rodoviária Federal reforça fiscalização em estradas de PE, através da Operação 12 de Outubro

Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco (PRF) dá início, nesta quarta-feira (11), aos trabalhos da ‘Operação 12 de Outubro’. Com ela, a corporação intensifica a fiscalização nas estradas que cortam o estado, até domingo (15). A ação no feriadão tem como objetivo ampliar a segurança de motoristas e passageiros, bem como melhorar a fluidez do trânsito e combater a criminalidade no estado.

A movimentação de veículos em direção ao Litoral Norte e Sul deverá ser ampliada pela BR-101. Também é esperado o aumento no fluxo do interior pelas BRs 232, 104, 316, 423 e 407.

Durante as abordagens, a PRF vai verificar a validade da documentação, a presença dos equipamentos obrigatórios, o estado de conservação do veículo e se todos utilizam o cinto de segurança. No caso das crianças, é necessário adotar o dispositivo de segurança adequado para cada faixa de idade.

Até um ano, deverá ser utilizado o bebê-conforto, de costas para o motorista; de um a quatro anos, é necessário o uso da cadeirinha; e de quatro a sete anos e meio, o assento de elevação. Crianças de até 10 anos devem ser transportadas no banco traseiro, com o cinto de segurança.

No período, a PRF pretende realizar ações específicas com foco no excesso de velocidade, nas ultrapassagens indevidas e no uso irregular de motocicletas. A fiscalização da embriaguez ao volante terá o apoio de equipes da operação Lei Seca, com a utilização de bafômetros em locais estratégicos das rodovias.

O Núcleo de Operações Especiais e os Grupos de Patrulhamento Tático estarão atuando durante o feriado. A Base de Operações Aéreas da PRF e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) farão plantões para realizar resgates. (Do G1)

Policiais Rodoviários do Estado repudiam corte de verbas

Se a segurança pública em Pernambuco já estava precária, agora deve piorar de vez. A notícia do corte de verbas do Governo Federal para a Policia Rodoviária Federal caiu como uma bomba para o efetivo que atua aqui no estado. Para o Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado de Pernambuco (SINPRF-PE), o Governo Federal está reduzindo orçamento e, com isso, está trocando verbas pelo aumento dos acidentes de trânsito e, consequentemente, pela vida das pessoas.

Neste momento, a diretoria do SINPRF-PE está em viagem pelo Sertão pernambucano e pode ver de perto as condições de trabalho da categoria: efetivo reduzido e poucos postos em funcionamento. São 15 em todo o estado, seis delegacias e a base aérea. Com os cortes, a base aérea será fechada de imediato, os postos serão todos fechados até o final do ano e todos os PRFs deverão ser recrutados para as delegacias.

No ano passado, o orçamento para custeio e investimento na PRF foi de R$ 782 milhões e em 2017 caiu para R$ 420 milhões, o que gerou dificuldades na gestão de operações e até do policiamento comum. Com o contingenciamento esse orçamento diminui ainda mais, quase 44% dele foi cortado, restando apenas R$ 230 milhões.

É lamentável que, num período de aumento do fluxo do tráfico de drogas e de crimes violentos nas rodovias federais, além do início do período de férias escolares, o Governo Federal tome uma atitude tão drástica de diminuir os recursos de uma instituição essencial à segurança pública nacional no policiamento ostensivo nas rodovias federais e prevenção a acidentes.

O corte inviabiliza vários projetos de melhorias em andamento, e promove o sucateamento da instituição que, de forma preventiva, há quase 90 anos, mais apreende drogas no país, e, na Década Mundial de Redução de Vítimas do Trânsito vinha reduzindo, ano a ano, o número de mortos e feridos nas rodovias federais.

O que representa esse corte na prática?

Os policiais rodoviários federais já têm como rotina de trabalho deslocar-se a pontos em que é mais comum a apreensão de drogas, flagrante de motoristas bêbados e de fiscalização de velocidade para diminuição de acidentes nas rodovias.

Com os cortes, o resgate aéreo a vítimas graves de acidentes não acontecerá mais, assim como o policiamento aéreo. Outro serviço que está suspenso é a escolta de cargas que passam da dimensão das faixas viárias. As viaturas da PRF também terão os deslocamentos limitados e postos serão fechados.

Através da Federação Nacional vários ofícios foram enviados ao Ministério da Justiça e ao Departamento de Polícia Rodoviária Federal solicitando providências e procurando evitar que uma atividade essencial de segurança pública fosse descontinuada. É contraditório o corte do governo à PRF, pois impede o servidor de exercer suas funções de proteção à sociedade.

Por fim, reiteramos nosso compromisso de continuar na luta pelo fortalecimento da PRF que passa, necessariamente, pela garantia integral do desempenho das funções constitucionais e legais por parte dos policiais rodoviários federais, o que está sendo comprometido pelo contingenciamento linear do orçamento, que não considera a essencialidade da atividade desenvolvida pela nossa categoria.

Frederico França – presidente do SINPRF-PE