Roberta Arraes pede reabertura de agências do Banco do Brasil em municípios do estado

A deputada Roberta Arraes (PSB) esteve na manhã desta quinta-feira (19), em reunião com a Superintendência do Banco do Brasil, para solicitar a reabertura das agências que foram fechadas em doze municípios do estado, entre eles Orocó e Ipubi.

Conforme divulgado pelo Sindicato dos Bancários de Pernambuco, o fechamento dessas agências deve atingir em torno de 100 bancários, lesando também a economia local.

Para Roberta é preciso unir forças com os outros deputados e governo do estado, em busca de soluções para a situação. “A população é a mais prejudicada, pois não tem onde sacar dinheiro, precisa se deslocar para cidades vizinhas, por exemplo. Como deputada estadual, não irei descansar, vamos nos unir para que essas agências sejam reabertas”, afirmou.

Participaram da reunião também, o vereador de Orocó, Ismael Lira, e o Dr. Rodrigo Amando, que já foi candidato a vice-prefeito do município. (Da ascom)

Ipubi e mais 12 cidades Pernambucanas ficarão sem agencia do Banco do Brasil

Segundo denúncia do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, a superintendência estadual do Banco do Brasil (BB) determinou o fechamento de 12 agências no Estado.

Os municípios atingidos serão Poção, Ipubi, Terra Nova, Jatobá, Jataúba, Orocó, Riacho das Almas, Iguaraci, Escada, São Miguelinho, Vertentes e Palmerina. Como já tinha sido informado, extraoficialmente, que a agência de Iguaraci seria fechada, agora está confirmado de forma oficial o seu fechamento.

Conforme divulgado pelo Sindicato, o fechamento das agências deve atingir em torno de 100 bancários. Para a presidenta do Sindicato, Suzineide Rodrigues, o governo federal usa como pretexto para o fechamento das unidades as investidas criminosas e o suposto prejuízo que as agências estão apresentando.

“Na verdade, essa decisão faz parte da política ultraliberal do governo golpista de Michel Temer que visa ao desmonte das empresas públicas objetivando a privatização”, denuncia. (O Povo Com A Notícia)

Contas do ex-prefeito de Ipubi, João Marcos, são julgadas irregulares pelo TCE

O Tribunal de Contas de Pernambuco julgou irregular a prestação de contas de gestão do ex-prefeito e ordenador de despesas do município de Ipubi, João Marcos Siqueira Torres, relativa ao exercício financeiro de 2015.

O processo nº 16100328-0, sob a relatoria do conselheiro Marcos Loreto, foi levado à julgamento na Segunda Câmara na última quinta-feira (05), com aprovação unânime dos demais conselheiros presentes à sessão.

A decisão foi baseada no relatório de auditoria feito pela equipe técnica do TCE, que apontou irregularidades nos documentos analisados, a maioria delas, referente à gestão previdenciária do município.

De acordo com a auditoria, as contribuições dos servidores e patronal devidas ao Regime Próprio de Previdência Social, no valor total de R$ 2.298.320,38, não foram integralmente contabilizadas e recolhidas, nem cumpridos os prazos de recolhimento previstos em lei. A prefeitura deixou de recolher também ao RPPS o valor correspondente à implantação da alíquota especial de contribuição, na importância de R$ 3.036.289,04.

A falta de controle na aquisição de combustíveis para a frota municipal e a ausência de informações relativas à gestão fiscal do município no portal da internet, conforme determina a lei, foram outras irregularidades que ensejaram o julgamento irregular das contas do ex-prefeito.

MULTA – Mesmo sendo notificado, João Marques Siqueira Torres não apresentou ao TCE qualquer justificativa para os questionamentos feitos no relatório de auditoria, abrindo mão de exercer seu direito ao contraditório e à ampla defesa.

Sendo assim, além de julgar irregulares as contas, o relator determinou aplicação de multa ao gestor no valor de R$ 7.800,00.

O voto estabelece ainda que o atual prefeito, ou quem vier a sucedê-lo, realize o repasse pontual e integral das contribuições previdenciárias, evitando onerar os cofres públicos com o pagamento de juros e outros encargos, bem como adote mecanismo de controle da despesa com combustível, nos moldes de orientações contidas nas decisões do Tribunal de Contas.  (Da GEJO)

Acidente na PE-590 em Ipubi deixa duas pessoas mortas

Imagem: WhatsApp

Francisco Jose da Silva, de 34 anos, e Maria do Socorro Soares Santos, de 43 anos, morreram em um acidente de trânsito, na noite de sexta-feira (15), próximo ao povoado de Serra Branca, em Ipubi, no Sertão do Araripe pernambucano. O casal estava em uma moto que seguia no sentido Ipubi / Serra Branca, na PE-590, quando colidiram com um caminhão que estava parado na pista, por problemas mecânicos.

De acordo com a Polícia Militar, o local não estava sinalizado e populares informaram, que o caminhão pertence ao senhor João Paulo, o mesmo não foi localizado. As duas vítimas não resistiram aos ferimentos e morreram na hora. A Polícia Civil esteve no local, onde realizou a perícia para remoção dos corpos.

MPT move 131 ações no polo gesseiro beneficiando mais de 2288 trabalhadores no Araripe

O Ministério Público do Trabalho (MPT) concluiu relatório parcial do Projeto Gesso, cujo objetivo principal é a regularização das condições de saúde e segurança no trabalho no polo gesseiro do Araripe (Pernambuco), responsável pela produção de cerca de 95% do gesso do país. Em dois anos, 161 empresas foram inspecionadas, 131 ações civis públicas movidas e 2288 trabalhadores beneficiados diretamente. As indenizações por dano moral coletivo somam R$ 800 mil reais.

Os dados preliminares foram apresentados pelo coordenador do projeto, o procurador Ulisses Dias de Carvalho, em agosto. Ele avalia que a partir da extensão da atuação e das informações colhidas nas visitas realizadas nos municípios que integram a região do Araripe pernambucano, a situação geral dos trabalhadores ativados nas empresas inspecionadas vem melhorando, apesar do encerramento das atividades de diversos dos estabelecimentos visitados.

Ulisses também constatou que há notícias de diminuição do número de reclamações trabalhistas ajuizadas contra essas empresas nos últimos 12 meses, mesmo com a grave crise econômica que assola o país.

Judicialização

Em decorrências das graves irregularidades encontradas, que colocavam em risco a saúde dos trabalhadores e da população local, foi preciso mover um número significativo de ações civis públicas. Em 2015, foram acionadas 68 empresas na justiça. Em 2016, 63, totalizando 131 ações.

Desse montante, destaque-se o alto percentual de deferimentos liminares pela justiça. O juízo trabalhista de Araripina, cuja titularidade é exercida pela juíza Carla Janaina Moura Lacerda, garantiu a tutelada antecipada em 96,27% das ações movidas pelo MPT.

Há nove anos atuando na vara de Araripina, a juíza informou que as ações do MPT cumprem um papel importante na melhoria das condições de trabalho na região. Ela disse que o trabalhador do gesso não tem o perfil de demandar a justiça do trabalho, sobretudo porque não tem sequer um parâmetro de uma condição digna de trabalho.

“Para se ter uma ideia, as demandas individuais desse trabalhador não chegam a 30% do volume de processos da vara, o que é bastante significativo quando se sabe que há problemas no segmento econômico e que é grande o contingente de pessoas laborando nele”, disse. “As ações do MPT preenchem esse vazio, possibilitando uma mudança nas relações de trabalho”, completou.

Irregularidades

Entre as infrações cometidas pelos estabelecimentos estão, na maioria, o não fornecimento de equipamento de proteção individual (EPI) aos funcionários; a ausência de monitoramento da exposição dos trabalhadores aos agentes ambientais presentes na atividade; a insuficiência na limpeza, expondo os empregados à poeira de gesso; e instalações elétricas em más condições.

Há ainda casos de informalidade, de não fornecimento de copos individuais ou bebedouros para o consumo de água potável; e de ausência de conservação, asseio e higiene nos banheiros. É recorrente também a falta de equipamentos apropriados para facilitar o transporte manual de cargas, evitando sobrepeso capaz de prejudicar a saúde e a integridade física dos trabalhadores.

Projeto Gesso

O grupo de trabalho para o acompanhamento das condições de meio ambiente laboral das empresas envolvidas no processamento e beneficiamento da gipsita, localizadas no polo gesseiro do Araripe, foi criado em novembro de 2016, tendo como base os primeiros resultados obtidos em força-tarefa em 2015. A partir de então as ações passaram a compor o Projeto Gesso, dentro das ações prioritárias da Coordenadoria Nacional de Defesa do Meio Ambiente de Trabalho (Codemat) do MPT.

O foco das atividades tem sido os municípios pernambucanos de Araripina, Ipubi, Trindade e Ouricuri. A expectativa é que o projeto se estenda por 2018. O MPT conta com o apoio, nas fiscalizações realizadas, da Polícia Rodoviária Federal. (Do MPT-PE)

Bodocó, Trindade, Ipubi e Moreilândia e mais 17 cidades de PE receberão promotores nesta segunda-feira (04)

Encerrou-se na sexta-feira (1°), o curso de formação dos 21 novos promotores de Justiça que tomaram posse no dia 10 agosto. A partir de segunda-feira (4), os novos membros vão assumir as comarcas que estão há mais de dois anos sem promotor titular. Treze deles trabalharão em cidades do Sertão do Estado, enquanto outros seis vão para o Agreste e dois, para a Zona da Mata Sul. Os municípios são: João Alfredo, Amaraji, Angelim, Santa Maria do Cambucá, Toritama, Sanharó, Cupira, Maraial, Carnaíba, Verdejante, Betânia, Belém de São Francisco, São José do Belmonte, Bodocó, Terra Nova, Trindade, Parnamirim, Moreilândia, Ipubi e Cabrobó.

A mesa de encerramento do curso de formação, no auditório da Escola Superior do Ministério Púbico (ESMP-PE), foi composta pelo procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros; o defensor Público-Geral de Pernambuco, Manoel Jerônimo de Melo Neto; o diretor da Escola Superior, Sílvio Tavares; a procuradora de Justiça Nelma Quaiotti; e o promotor de Justiça Fabiano Saraiva. Na ocasião, o procurador-geral reforçou a necessidade dos novos promotores interagirem com a sociedade local, atender ao público e não só ser o braço direito do Judiciário. “Afinal, somos os defensores do regime democrático e também guardião da cidadania”, destacou.

O curso ajudou bastante, principalmente na convivência com os promotores de Justiça do interior, na qual tivemos uma noção boa de como é o dia a dia do promotor. Também vão ajudar bastante as orientações da equipe dos Centros de Apoio Operacional às Promotorias e outros órgãos do MPPE”, comentou o novo promotor de Justiça de Moreilândia, Daniel Cézar de Lima Viera. (Do MPPE)

Ipubi se prepara para Festa de Agosto 2017; confira a programação

Uma mega estrutura será montada no Parque de Eventos de Ipubi entre os dias 30 de agosto até o dia 03 de setembro para a realização do maior evento cultural e artístico da cidade, Festa de Agosto 2017.

Realizada pela Prefeitura de Ipubi, por meio da sua Secretaria de Educação Cultura e Desportos a cidade se prepara para receber o maior público de munícipes e turistas que virão aproveitar a festividade mais badalada da região do Araripe.

De acordo com o prefeito Chico Siqueira o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) foi feito com o Ministério Público, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Lei Seca, Polícia Civil e Conselho Tutelar para garantir uma festa com segurança e qualidade.

Dois grandes palcos serão montados, som, luz, camarins, banheiros químicos, já estão garantidos para que toda população possa acompanhar o evento. A festa começará sempre as 21 horas.

Dia 30/08 (quarta-feira) – Thiaguinho, Jorge do Acordeon e Forró nos Trilhos.

Dia 31/08 (quinta-feira) – Aviões do Forró, Everton Torres e Forró Considerado.

Dia 01/09 (sexta-feira) – Léo Santana, Solteirões do Forró e Forró da Mídia.

Dia 02/09 (sábado) – Paula Fernandes, Caninana do Forró e Planeta You Samba.

Dia 03/09 (domingo) – O tradicional Festival de Cerveja e a cantora Érica Diniz.

Banco do Nordeste realiza encontro de negócios em Ipubi

A equipe de gerentes de negócios do Banco do Nordeste, agência de Araripina, estiveram nessa segunda-feira (21), na Câmara de vereadores de Ipubi, onde apresentaram a edição do FNE ITINERANTE 2017, o instrumento de desenvolvimento regional.

O objetivo do encontro foi promover  oportunidades de negócios por meio do FNE junto ao banco para comerciantes, empresários, lojistas, microempresas e microempreendedores que desejam ampliar sua linha de negócios, garantindo mais desenvolvimento econômico e mais retorno para seus empreendimentos.

Provido de recursos federais, o FNE financia investimentos de longo prazo e, complementarmente, capital de giro ou custeio. Além dos setores agropecuário, industrial e agroindustrial, também são contemplados com financiamentos os setores de turismo, comércio, serviços, cultural e infraestrutura.

Os recursos do Fundo representam ingressos adicionais para o Nordeste, mas não substituem outros fluxos financeiros do Governo Federal, de órgãos repassadores ou do próprio BNB. Por definição legal, não se sujeita a injunções de políticas conjunturais de contingenciamento de crédito, tendo em vista a conveniência e a necessidade de se assegurar a continuidade das inversões de desenvolvimento regional.

Vereador Josenildo é o novo líder da oposição na Câmara Municipal de Ipubi

A politica de Ipubi, no Sertão do Araripe, enfrentou grandes mudanças nos últimos dias, principalmente no legislativo, onde o Vereador Damásio Pulquerio deixou o PTB que liderava a oposição na Câmara Municipal e aderiu a bancada do prefeito Chico Siqueira, o próprio parlamentar concedeu entrevista na imprensa local em 30 de Junho, confirmando seu apoio a base do governo municipal.

A partir dai começaram a surgir muitas duvidas na população, principalmente como fica a oposição sem o seu principal articulador? Más a resposta veio em poucos dias, a oposição seguirá seu trabalho com as Vereadoras Socorro Fabricio (Deinha), Nájila Damascena e o novo líder oposicionista, o Vereador Josenildo de Zé Pequeno.

O novo líder da oposição afirma que mesmo com minoria na casa vai continuar seu trabalho de fiscalizador. “fui eleito oposição pelo povo e continuo oposição, para fiscalizar e cobrar melhorias para nosso município, juntamente com as duas vereadoras opositoras faremos uma oposição responsável, e que possa contribuir com o povo ipubiense”, concluiu Josenildo.

MPF-PE garante transporte para pacientes renais da zona rural de Ipubi

O Ministério Público Federal (MPF) em Salgueiro/Ouricuri (PE) conseguiu garantir que o município pernambucano de Ipubi, no Sertão do Araripe, forneça transporte a pacientes renais moradores da zona rural. Como a cidade não dispõe de infraestrutura para prestar tratamento de saúde de alta complexidade, a exemplo de hemodiálise, os enfermos precisam se deslocar três vezes por semana ao Crato (CE), cidade mais próxima em condições de oferecer o tratamento. O responsável pelo caso é o procurador da República André Estima de Souza Leite.

Conforme consta do acordo obtido pelo MPF e homologado pela Justiça Federal, a Prefeitura de Ipubi terá de fornecer o transporte aos pacientes, em veículo próprio, de suas casas na zona rural de Ipubi até o Crato, e no trajeto de volta. Caso haja descumprimento da determinação, será aplicada multa diária no valor de R$ 5 mil.

O MPF já havia conseguido essa decisão favorável aos pacientes renais em caráter liminar, em 2014. A atuação do órgão foi motivada por representação da Associação dos Amigos e Pacientes Renais do Cariri. A ação foi ajuizada contra o município, o Estado de Pernambuco e a União. No período de novembro de 2012 a junho de 2014, o município deixou de oferecer o transporte aos enfermos, que tiveram de custear o deslocamento para se submeterem à hemodiálise.

Indenização

Como forma de indenizar os pacientes pelo custeio do transporte durante esse período, de cerca de um ano e meio, o MPF conseguiu também que a Justiça determinasse o pagamento de indenização a cada um, no valor de R$ 5.780,00.

Para o procurador da República, “a omissão da Prefeitura de Ipubi, à época dos fatos, causou sérios transtornos aos pacientes renais da zona rural e ameaçou a continuidade de um tratamento que não pode ser interrompido sem graves consequências à saúde“. Ele argumenta que “é dever do poder público garantir o direito de todos à saúde. Não havendo possibilidade de o tratamento ser realizado na localidade em que residem os pacientes, deve-se providenciar o acesso desses cidadãos aos serviços de saúde mais próximos”. (Do MPF-PE).