Tenente Mariano é candidato a deputado estadual de Bolsonaro em Pernambuco

Músico, natural de Belo Jardim, no agreste pernambucano, Tenente Mariano prestou concurso para o Exército  em Brasília  em 1981, quando conseguiu ser aprovado, desde então segue a carreira militar, 16 anos  em Brasília,  5 anos  em Macapá   5 em Caçapava São Paulo  e 4 anos  em João Pessoa. Atualmente na reserva, do Exército.

“Como tenho muita amizade com Bolsonaro, ele mim pediu para ser o representante dele no nosso estado e com muita vontade de ver um Brasil  melhor  aceitei esse desafio. Se for da vontade de Deus chegaremos lar. Meu sonho é que antes de parti essa vida deixe algo de bom para nossos irmãos e irmãs pernambucanos.  Por Isso estou nessa luta”, declarou Tenente Mariano.

Tenente Mariano amigo de farda do capitão Bolsonaro, os dois serviram juntos na Brigada paraquedista no Rio, “somos muito amigos, ele mim pediu para ser o representante dele em Pernambuco. Sou candidato à Deputado Estadual com o número 17617 para todos nós juntos com ajuda do nosso Deus. Mudar a situação do nosso Brasil”, afirmou.

Projeto do Tenente Mariano

Formar uma comissão em cada cidade do Estado para fiscalizar os prefeitos para diminuí a roubalheira nas prefeituras. (Da Ascom)

Para o Senado, Jarbas e Mendonça empatados

Na disputa pelo Senado, o Real Time Big Data apontou Jarbas Vasconcelos (MDB) em primeiro lugar com 33% das intenções de voto, seguido de Mendonça Filho (DEM) com 30%. Humberto Costa (PT), tem 26%, Bruno Araújo (PSDB) tem 14%, Silvio Costa (Avante) 11%, Pastor Jairinho (Rede) 4%, Adriana Rocha (Rede) 2%, Outros 2%. Indecisos Voto 1, 9%, Brancos/Nulos Voto 1, 15%, Indecisos Voto 2, 33%, Brancos/Nulos Voto 2, 21%. (Por Edmar Lyra)

Pesquisa Real Time: Paulo Câmara 34%, Armando Monteiro 30%

O Instituto Real Time Big Data divulgou a segunda rodada de pesquisas para governador e senador de Pernambuco. Foram 1.000 questionários entre os dias 21 e 22 de setembro e possui margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos. O registro da pesquisa é: PE-03887/2018.

No cenário espontâneo para governador, Paulo Câmara (PSB) aparece com 22%, Armando Monteiro (PTB) 19%, Maurício Rands (PROS) 2%, Julio Lossio (Rede) 2% e Dani Portela (PSOL) 1%, Brancos e nulos 15% e indecisos 39%. Simone Fontana (PSTU) não pontuou.

Na pesquisa estimulada Paulo Câmara aparece com 34% das intenções de voto contra 30% de Armando Monteiro, Julio Lossio 5%, Maurício Rands 4%, Dani Portela 2%, Outros 1%, Brancos e nulos 15%, indecisos 9%.

No segundo turno Paulo Câmara teria 40% contra 38% de Armando Monteiro, brancos e nulos 17% e indecisos 5%.

No quesito rejeição Paulo Câmara teria 45%, Armando Monteiro 30%, Maurício Rands 19%, Julio Lossio 17%, Simone Fontana 17%, Dani Portela 17%, Ana Patricia Alves 15%. (Por Edmar Lyra)

Casa incendeia no povoado Cara Branca em Ouricuri e mata criança de 7 meses

 

No final da manhã do último sábado (22), por volta das 10 horas e 30 minutos, A equipe do GATI por determinação do Oficial de Operações seguiu até o Povoado de Cara Branca, na Serra do Inácio entre Ouricuri e Santa Filomena, no Sertão do Araripe, onde havia a denúncia de uma casa em chamas e uma suposta vítima fatal, sendo uma criança.

Chegando ao local, os policiais militares mantiveram contato com Gildemar da Silva do Nascimento, pai da vítima fatal, uma criança de prenome Kauê, de apenas 7 meses que ainda não fora registrado no cartório de registro civil.

O pai relatou aos policiais que saiu para trabalhar na roça e deixou em casa sua esposa, Ana Cristina da Paz Rodrigues,  e os dois filhos, a mãe teria saído para comprar uma carne na feira e deixou as duas crianças, o Kauê, e outra criança de 2 anos, ambos ficaram a sós, pois não havia com quem deixá-los e a demora seria pouca e ao retornar foi avisada antes de chegar a casa, que a mesma havia incendiado, sendo que a criança de 2 anos foi possível ser resgatada por vizinhos, enquanto que o bebê de 7 meses, não foi salvo devido a dificuldade de adentrar na casa por causa do fogo e da fumaça.

A ocorrência foi repassada à Polícia Civil que esteve no local, juntamente com a Polícia Científica para os exames de praxe e coleta de material para a investigação, onde foi recolhido no local uma bituca de cigarro e um cadeado com uma chave. A criança vitimada fatalmente foi encaminhada ao IML em Petrolina.

ADAGRO lança edital para concurso com 140 vagas e salários de até R$ 4.860

Foto: reprodução

A Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) divulgou, no Diário Oficial do estado, o edital do concurso público com 90 vagas para assiste de defesa agropecuária, com exigência de nivel técnico, e outras 50 para fiscal estadual agropecuário, de nível superior. Os salários são de até R$ 4.860,21.

As inscrições, que acontecem no através do site da IAUPE, organizadora do certame, começam no dia 30 de setembro e vão até o dia 8 de novembro. A taxa é de R$ 50 para o cargo de assistente de defesa agropecuária e de R$ 64 para o de fiscal estadual agropecuário.

Os pedidos de isenção devem ser feitos até o dia 15 de outubro. A previsão é de que as provas aconteçam no dia 3 de fevereiro, com resultado final do concurso previsto para 26 de fevereiro de 2019.

Vagas

O concurso tem uma única etapa, de prova objetiva de conhecimentos, de caráter eliminatório e classificatório. Todas as vagas têm como exigência carteira nacional de habilitação atualizada com, no mínimo, categoria B.

O cargo de assistente de defesa pede, ainda, diploma de nível técnico em Agropecuária ou em Técnico Agrícola. A carga horária é de 40 horas semanais. Os aprovados podem ter como base Caruaru, Garanhuns, Ouricuri, Palmares, Petrolina, Recife, Salgueiro, Sanharó, Serra Talhada, Surubim e Sertânia.

Das vagas de fiscal, há 40 para formados em Medicina Veterinária, com carga horária de trabalho prevista em 40 horas semanais. Para essa especialidade, as vagas são para Caruaru, Garanhuns, Ouricuri, Palmares, Petrolina, Recife, Salgueiro, Sanharó, Serra Talhada, Sertânia e Surubim.

Para fiscal, há ainda outras 10 para formados em Agronomia, com mesma carga horária. Os postos de trabalho são em Caruaru, Recife, Palmares e Petrolina.

O edital completo pode ser conferido a partir da página 7 do Diário Oficial do Executivo de Pernambuco. (Fonte: G1 PE)

 

Em Pernambuco, Ciro descredencia Haddad: ‘Quando ele vier saber onde é Salgueiro, acabaram os quatro anos’

O candidato à presidência da república Ciro Gomes (PDT), em agenda pelo Recife, fez críticas a Fernando Haddad, candidato pelo PT e que tem se mostrado a preferência dos pernambucanos nas pesquisas de intenção de votos. Segundo Ciro, o “amor ao Lula” se transformar em aposta em Haddad pode levar a um governo fraco, sem governabilidade e aponta para um candidato que desconhece o Nordeste e principalmente Pernambuco. “Dos 13 candidatos, sou o único que tem vida política no Nordeste. Isso é fato. Quando ele vier saber onde é Salgueiro, acabaram os quatro anos”, declarou. As críticas se estenderam ao PT, inclusive na aliança com o governador Paulo Câmara (PSB), do partido que apoiou a retirada de Dilma em 2016. “O PT pensa primeiro no partido, depois no povo. O meu caso é o contrário”, garantiu.

A agenda de Ciro Gomes no Recife começou com ato no Colégio Maria Auxiliadora e depois visitou o comitê do candidato a deputado federal Túlio Gadelha (PDT). O candidato ao governo de Pernambuco Maurício Rands (Pros) acompanhou a agenda. O ex-prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), e o presidente nacional da sigla, Carlos Luppi, também participaram dos encontros.

Na lista de pontos elencados por Ciro para desconstruir a imagem de Haddad e do PT, citou que Lula é um fenômeno e que o PT utiliza desse sentimento do povo pra tomar atitudes equivocadas. “Eu tenho um profundo respeito pela história de vida do Lula, maior lider popular do país, que está na prisão, proibido de participar da eleição. Mas aí burocracia do PT aproveitando o carinho e a gratidão correta e justa que o povo brasileiro tem pelo Lula para fazer e acontecer. A última agora deles é indicar o Fernando Haddad, meu amigo, pessoa boa. Não tenho nada pra dizer da pessoa dele, mas a última experiência política dele não completou dois anos. Na disputa para a prefeitura de São Paulo, com apoio de Lula e meu, ele perdeu as eleições em todas as urnas da cidade. Dos ricos, da classe média e nas urnas de bairros pobres”, destacou.

Segundo ele, fazer essa experiência com o Brasil nessa situação pelo amor ao lula, é um erro. “Eu acho que projetará para mais quatro anos essa confrotação, de ódio, que faz jovens brigarem de forma violenta e grosseira na internet e que tá dividindo familias. E a falta de governabilidade também. É a segunda indicação do Lula, que é sempre de boa fé, mas a gente viu o que ocorreu com a Dilma”, destacou, estendendo as críticas ao PT.

“Eu fui convidado por Lula pra ser vice dele e cumprir esse papelão que Haddad está cumprindo, de querer ser presidente com procuração. Eu sou um democrata. É isso que o brasileiro quer? O Brasil não aguenta mais um presidente fraco. A diferença do PT para o PDT é que a gente não pensa no partido primeiro. Primeiro é a população”, considera. “Lula é queridíssimo, mas a gente não está falando de afeição. Eu apoiei Lula nos últimos 16 anos todos os dias, sem faltar nenhum. O governador Paulo Câmara apoiou o impeachment e depois convenceu a burocracia do PT e se aliou a Lula para tirar Marilia Arraes. É essa escola que Pernambuco quer?”, questionou. (Do Diário de Pernambuco)

TV não surtiu efeito e Alckmin “desidrata”

Foto: reprodução

A última pesquisa Ibope mostrou Alckmin com 13% em São Paulo. Uma semana antes, ele registrava 18% e estava empatado tecnicamente com Jair Bolsonaro (PSL). Agora o levantamento apontou um empate do tucano com Fernando Haddad (PT) e um isolamento de Bolsonaro na liderança, com 30%.

São Paulo é tido como um dos estados onde o sentimento antipetista é forte no eleitorado. A desidratação da candidatura de Alckmin junto ao eleitor paulista, na avaliação de estrategistas da campanha, tem se dado porque o eleitor está buscando uma alternativa mais competitiva para derrotar o PT. Apesar do discurso contra Bolsonaro e o PT, repetido ontem em um ato no Parque do Ibirapuera, na capital, o ex-governador não conseguiu encarnar até agora a imagem de candidato mais anti-PT desta eleição.

Na visão de outro aliado do ex-governador, Bolsonaro e Lula “já tinham ocupado espaços e percorrido o país” quando Alckmin começou a fazer campanha. Ele reconhece que esperava-se um impacto maior do tempo de TV, mas que o plano foi frustrado pela facada em Bolsonaro, que aumentou a exposição do candidato do PSL.

Com o baixo desempenho, candidatos a deputado em São Paulo, principalmente de partidos coligados, têm feito corpo mole na tarefa de pedir voto ao presidenciável. Auxiliares de Alckmin não se cansam de reunir nas atividades de rua santinhos sem o número do candidato a presidente.

Considerando o atual desempenho, o candidato do PSDB corre o risco de repetir a derrota de Aécio Neves para Dilma Rousseff, em Minas, na eleição de 2014. A campanha passada, aliás, sempre é lembrada pelo candidato para afirmar que ainda pode crescer.

— Em 2014, o Aécio estava em terceiro lugar nas pesquisas a 20 dias da eleição e foi para o segundo turno. Vamos trabalhar — disse Alckmin, após caminhada, na semana passada, em uma região de comércio popular na capital paulista. (Sílvia Amorim – o globo)

Pesquisa BTGPactual: Bolsonaro continua com 33%; Haddad salta de 16% para 23%

Pesquisa de intenção de votos realizada pelo BTG/FSB traz o candidato do PSL à Presidência Jair Bolsonaro com 33% das intenções de voto, o mesmo percentual da semana passada, enquanto Fernando Haddad (PT) manteve a escalada, isolando-se em segundo lugar: passou de 16% para 23%. Ciro Gomes (PDT) recuou de 14% para 10% e caiu para o terceiro lugar.

Geraldo Alckmin (PSDB) passou de 6% para 8%. Marina Silva (Rede) manteve os 5%. João Amoêdo (NOVO) seguiu com 3% da semana anterior, enquanto Alvaro Dias (PODE) manteve os 2%. Henrique Meirelles (MDB) oscilou de 2% para 3% dos votos, enquanto Cabo Daciolo (PATRI) deixou de pontuar.

Dois oito mil eleitores com idade a partir de 16 anos entrevistados, a porcentagem de quem não votaria em ninguém foi de 9% para 7%, branco/nulo somam 2%, enquanto não sabe/não responderam foi de 5% para 4%.

A pesquisa do BTG é a que tem dado maior pontuação a Bolsonaro na comparação aos outros levantamentos como o Datafolha e o Ibope.

O levantamento foi realizado nos dias 22 e 23 de setembro por telefone pelo Instituto FSB Pesquisa nas 27 Unidades da Federação. A margem de erro no total da amostra é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-03861/2018.

SEGUNDO TURNO

O levantamento fez uma simulação de segundo turno (todas com Bolsonaro) e mostrou um cenário de crescimento dos adversários do candidato. Bolsonaro, que antes vencia Haddad, Alckmin e Marina e empatava com Ciro, agora ganha apenas de Marina, empatando tecnicamente com os demais candidatos.

Quando o cenário é Bolsonaro contra Ciro, há um empate técnico, com 43% votando no candidato do PDT e 41% apoiando o candidato do PSL;  na semana passada, ambos apareciam com 42%. 5% dizem votar branco/nulo, 9% em ninguém e 2% não sabem ou não responderam.

Entre Bolsonaro e Haddad, a situação passou a ser de empate técnico, no limite da margem de erro. 44% disseram votar no candidato do PSL e 40% apontaram votar no petista; semana passada, 46% disseram votar em Bolsonaro ante 38% que votariam no petista.

Quando confrontado com Alckmin, Bolsonaro oscilou de 43% na semana passada para 41% dos votos, enquanto o tucano subiu de 36% para 40%, configurando mais uma situação de empate técnico. A maior diferença é contra Marina Silva: 46% do candidato do PSL ante 34% da candidata da Rede; na semana passada, ele possuía 48% ante 33% da ex-senadora.

PESQUISA ESPONTÂNEA

No cenário espontâneo, a intenção de voto de Bolsonaro oscilou de 30% para 31%, de uma semana para outra, enquanto Haddad passou de 12% para 17% e se consolidou na segunda posição (duas semanas atrás, ele tinha apenas 3% das intenções de voto espontânea).

Já Ciro mostrou estabilidade, oscilando negativamente de 8% para 7%. Alckmin oscilou positivamente no limite da margem de erro de 2% para 4%, Amoêdo oscilou negativamente de 3% para 2%, mesmo percentual de Marina Silva (Rede), que manteve o percentual da última semana. A intenção de voto de Lula despencou de 6% para 2%, demonstrando que o eleitorado identifica cada vez mais que Haddad é o nome escolhido pelo PT para a disputa eleitoral após a candidatura do ex-presidente ter sido barrada pelo TSE.

Álvaro Dias e Henrique Meirelles se mantiveram com 1%, enquanto os demais não pontuaram. Não sabem ou não responderam oscilaram de 22% para 21%, não votariam em ninguém continuaram em 8%, enquanto brancos e nulos foram de 4% para 3% em uma semana. (Do Poder360)

Última semana para sacar PIS/Pasep para quem tem menos de 60 anos

Foto: reprodução

Esta é a última semana para que todos os cotistas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) saquem o benefício fora dos critérios previstos em lei. O prazo termina na sexta-feira (28).

Conforme determina a Lei 13.677/2018, a partir do dia 29 de setembro os saques voltarão a ser permitidos somente para os cotistas que atendam a um dos critérios habituais: pessoas com 60 anos ou mais, aposentados, herdeiros de cotistas, pessoas em situação de invalidez ou acometidos por doenças específicas.

Cerca de R$ 17 bilhões já foram pagos aos trabalhadores que atuaram entre 1971 e 1988 na iniciativa privada (com carteira assinada) ou no serviço público, desde o início do processo de flexibilização dos saques do Fundo PIS/Pasep, em outubro de 2017, até agora. Do público potencial de 28,5 milhões de pessoas que havia em 2017, mais de 15,5 milhões de trabalhadores já receberam os recursos, ou seja, 55% do total.

As pessoas com menos de 60 anos representavam, em outubro de 2017, a maior parte dos cotistas do Fundo PIS/Pasep, somando 16,3 milhões de trabalhadores. De acordo com os últimos dados do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, até o último dia 16 cerca de 5,7 milhões de cotistas nessa faixa etária ainda não haviam se dirigido às agências da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil para buscar o benefício.

Divergências no cadastro

Dos R$ 17 bilhões já pagos aos cotistas, cerca de 8,5 R$ bilhões foram entregues aos trabalhadores por meio de depósito automático na conta corrente, ou seja, sem a necessidade de ir à agência bancária. De acordo com o Ministério do Planejamento, isso foi possível devido aos créditos feitos pelo Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal aos seus correntistas e a uma parceria envolvendo a Febraban, a Caixa, o Banco do Brasil e mais oito instituições: Bradesco, Itaú, Santander, Bancoob, Sicredi, Banestes, BRB e Mercantil.

Devido a questões de segurança e a divergências cadastrais, cerca de 5 milhões de cotistas com CPFs válidos não receberão os depósitos automáticos. Por isso, o ministério alerta que cotistas com menos de 60 anos, interessados em ter acesso imediato ao dinheiro, devem procurar as agências da Caixa e do Banco do Brasil até a próxima sexta-feira (28).

Quem tem direito

Para saber o saldo e se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sitesdo PIS e do Pasep. Para os cotistas do PIS, também é possível consultar a Caixa Econômica Federal no telefone 0800-726-0207 ou nos caixas eletrônicos da instituição, desde que o interessado tenha o Cartão Cidadão. No caso do Pasep, a consulta é feita ao Banco do Brasil, nos telefones 4004-0001 ou 0800-729-0001.

Têm direito ao saque as pessoas que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988. As cotas são os rendimentos anuais depositados nas contas de trabalhadores, instituídas entre 1971, ano da criação do PIS/Pasep, e 1988.

Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). (Agência Brasil)

Em nota, CDL Ouricuri diz que ADDIPER não cumpriu acordo de patrocínio firmado com a 8ª FECOU

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Ouricuri,. através do presidente, Edilson Silva Batista, vem a público através de nota dizer que a ADDIPER não cumpriu com o compromisso firmado em patrocinar a 8ª edição da Feira do Comercio de Ouricuri (FECOU).

Veja a nota na íntegra:

“A FECOU (Feira do Comercio de Ouricuri) é um evento que ocupa uma estrutura de 5.500 m², com 100 estandes, de diferentes seguimentos comerciais, e volume de negócios realizados em torno de R$ 4.223.853,24 (Quatro milhões e duzentos e vinte três mil oitocentos e cinquenta e três e vinte quatro centavos) e que este ano atraiu mais de 30.000 pessoas. Nas sete edições anteriores da feira, a CDL sempre teve o patrocínio da AD Diper e essa agência de desenvolvimento do estado sempre cumpriu o pagamento dos patrocínios. Entretanto, este ano, ano de eleição, a CDL teve o patrocínio aprovado em abril em R$ 20.000,00.

A partir daí seguimos todos os procedimentos burocráticos exigidos para validação e recebimento. Contudo, em junho, pós FECOU, estranhamente nos informaram que a ADDIPER havia mudado de diretoria e que o nosso patrocínio não poderia ser pago para a FECOU. Solicitaram-nos criar outro evento e que este agora teria de patrocínio não mais R$ 20.000,00 e sim R$ 30.000,00. Assim fizemos outro projeto, Campanha Final de Ano Premiado, e novamente seguimos todos os procedimentos burocráticos exigidos para validação e recebimento. Todavia, em agosto, estranhamente a ADDIPER nos comunica que não seria mais possível pagar o patrocínio firmado.

Nas visitas do Governador a Ouricuri agora em agosto, reivindicamos o cumprimento do pagamento deste patrocínio e o mesmo se prontificou em resolver essa pendência, mas infelizmente ficou apenas na promessa.

Salientamos que a CDL fez compromissos com fornecedores, confiando no repasse da parceria firmada, e agora se encontra inadimplente e sem condições de honrar com as suas obrigações financeiras devido a esse prejuízo.

Portanto, esperamos que o Senhor Governador sensibilize com a situação da CDL e veja a importância da FECOU para o comércio regional e resolva a honrar o pagamento deste patrocínio”.

Ouricuri, 20 de setembro de 2018.

Edilson Silva Batista – Presidente